Reduzir a taxa de juros para o País crescer

Hoje, dia 30, tem início a reunião do Copom, que vai anunciar amanhã, 31, se a taxa básica de juros (Selic) vai subir, ser mantida nos abusivos 14,25% ao ano ou reduzida. Será preciso que os juros caiam substancialmente para que possamos enxergar uma luz no fim do túnel para a economia brasileira.

São os juros altos que atrofiam a economia, alimentam a carestia, inibem a produção e o consumo, provocam o fechamento de empresas e geram desemprego, entre outras demandas.

Só com uma redução volumosa nos juros a economia vai reencontrar o caminho do crescimento econômico. Mantê-la no patamar atual ou elevá-la é seguir caminhando na contramão do bom senso. É persistir priorizando os grandes especuladores e atestando que os trabalhadores continuarão pagando a conta pela recessão, gerada pela frequente sequência de erros que não foi por eles provocada.

Os juros têm de ser reduzidos para que o Brasil se desenvolva, para que empregos sejam criados, para que a produção e o consumo sejam reaquecidos. Priorizar a classe trabalhadora e o setor produtivo como um todo é fundamental para recolocar o País nos trilhos do desenvolvimento. É mostrar ao povo brasileiro que existe boa intenção em promover nosso crescimento econômico e que todos os esforços para alcançar tal objetivo estão sendo colocados em prática.