O governo deve mostrar que aposta no setor produtivo

Diante da realização da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) para definir, nesta quarta-feira, dia 8, se taxa básica de juros (Selic) vai permanecer nos estratosféricos 14,25% atuais, ser aumentada ou reduzida, a Força Sindical vem a público cobrar, do novo governo, que os juros sofram uma redução drástica no intuito de dar início à nossa estabilização econômica e à consequente retomada do desenvolvimento nacional.

Trata-se, inclusive, de uma grande oportunidade para o governo demonstrar de que lado está, se do lado do setor produtivo ou do setor especulativo. Lembramos que é o setor produtivo que gera emprego e renda, e, diante deste quadro bizarro que vivenciamos, com quase doze milhões de trabalhadores desempregados, o emprego torna-se uma das principais prioridades do País.

Os juros altos inibem o consumo e estrangulam a produção, afetando todos os setores da cadeia produtiva e a sobrevivência de milhares de famílias. A redução dos juros, ainda, vai sinalizar positivamente para todo o setor produtivo, oferecendo um alento para aquelas categorias de trabalhadores com datas-bases no segundo semestre.

Nosso manifesto é no sentido de que o novo governo se mostre do lado da classe trabalhadora e do povo brasileiro, baixe substancialmente os juros e, assim, sinalize no sentido de estar trabalhando para que, já neste segundo semestre, o Brasil retome o caminho da coerência e da responsabilidade, voltando, assim, a trilhar seu caminho rumo ao crescimento e ao desenvolvimento econômico com emprego, renda e justiça social.

Paulo Pereira da Silva – Paulinho
Presidente da Força Sindical e deputado federal pelo Solidariedade