Menos Juros, Mais Empregos!

Nesta terça-feira, dia 1º, começa a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) que, no dia 2, vai anunciar como ficará a taxa básica de juros (Selic), se será elevada ou mantida nos atuais e estratosféricos 14,25% ao ano (diminuída, com esta equipe econômica extremamente conservadora, sabemos que não será).

Para demonstrar todo o nosso descontentamento com os rumos tortuosos que o Brasil vem trilhando, a Força Sindical vem realizando manifestações contra os juros altos e de repúdio aos frequentes equívocos do governo na condução da economia do País. E nesta terça-feira lá estaremos, novamente, em frente ao prédio do Banco Central, na av. Paulista, 1.804, às 10 horas, protestando e buscando sensibilizar o governo e seus tecnocratas por juros menores e pelo atendimento às reais necessidades dos trabalhadores.

Será que só o governo não percebe que manter os juros nas alturas na tentativa de conter uma inflação que está aí, avassaladora, não vem trazendo resultados? Será que só o governo não vê que a indústria, o comércio, o setor de serviços, da construção e o agronegócio, entre outros segmentos, estão enfrentando seríssimas dificuldades? Que milhões de postos de trabalho estão sendo perdidos e a produção e o consumo estão estagnados? Porque o trabalhador, lado mais fraco da corda, enxerga. Ou melhor, ele está é sentindo na própria pele tudo o que vem acontecendo.

A falta de sensibilidade social do governo é um fato recorrente. Juros altos, inflação de dois dígitos, escassez de crédito no mercado, reforma “mascarada” da Previdência, desindustrialização, desemprego. Tudo para castigar o setor produtivo enquanto o governo segue curvando-se ante os especuladores.

A nossa luta por juros menores, pelo emprego, contra os frequentes “Pacotes de Maldades” do governo vai continuar e ser, a cada dia, intensificada. O governo vai ter de entender a equação lógica do crescimento econômico: juros baixos = mais consumo = mais produção = mais empregos e uma economia forte.

Simples assim!