Fechamento da Ford deixará um grande rastro de desemprego no Brasil

Não bastassem os mais de 14 milhões de desempregados no país, a Ford nesta semana informou que fechará três fábricas no Brasil (Bahia, São Paulo e Ceará). O anúncio caiu como uma bomba em um país já devastado economicamente.

Segundo a montadora, mais de 5 mil trabalhadores serão desligados. O efeito do fechamento das unidades será desastroso, porque afetará também empresas que prestam serviços à Ford.

Todos os setores que dependem da indústria automobilística serão prejudicados. Segundo economistas, cada vaga perdida na indústria pode deixar outros cinco profissionais desempregados na cadeia produtiva. Somente na Bahia estima-se 60 mil trabalhadores diretos e indiretos prejudicados pela decisão da Ford. Se colocarmos na conta os pequenos negócios, como restaurantes e comércios próximos às fábricas, teremos cerca de 20 pessoas desempregadas para cada 1 demitido da Ford. É muita gente.

O impacto socioeconômico no Brasil será profundo. Milhares de empregos serão perdidos direta e indiretamente e isso eleva o desemprego e, consequentemente, a pobreza.

Dinheiro para o trabalhador – A Ford alega a falta de competitividade e os altos tributos no Brasil para por fim há mais de um século de história. Mesmo com todos os incentivos fiscais dados à montadora, os seus representantes afirmam que não podem mais permanecer no país.

A União deixa de arrecadar bilhões ao conceder incentivos fiscais às indústrias e as do setor automobilístico são as mais beneficiadas. Essas empresas ganham descontos em IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e Imposto sobre Importação. Ao se instalarem no Nordeste, os incentivos são ainda maiores.

Por isso, como deputado federal e presidente nacional de um partido, não posso ficar de braços cruzados diante do fechamento de vagas de trabalho. A Ford pegou a todos de surpresa e criou uma grande insegurança na cadeia produtiva. A empresa precisa ser cobrada, ser responsabilizada por isso. Ela não pode simplesmente sair do Brasil levando milhares de empregos.

Diante dessa situação, o Solidariedade vai processar a Ford e exigir que pague pelos incentivos que recebeu do governo federal e dos estados. Com esse dinheiro, o país pode beneficiar milhares de trabalhadores que perderam as suas rendas e até usar os recursos para a manutenção do auxílio emergencial.

Claro que o custo Brasil é um dos impedimentos para que grandes investidores permaneçam ou venham para cá. Mas para isso o Congresso já discute a votação das reformas estruturais, como a Tributária, para tornar o país mais competitivo, gerando emprego e renda para todos os brasileiros.