Continua o roubo no Imposto de Renda

O Congresso Nacional não conseguiu derrubar o veto da presidente Dilma Rousseff ao reajuste de 6,5% na tabela do Imposto de Renda. Ao mesmo tempo, o governo editou uma medida provisória que reajusta a tabela em 6,5% apenas para quem ganha até R$ 2.826,65. Só quem ganha até R$ 1.903,98 estará isento do imposto. A maior alíquota, de 27,5%, passa a ser aplicada a quem recebe a partir de R$ 4.664,69, faixa que teve a tabela reajustada em 4,5%.

Desde 1996 o governo vem reajustando a tabela do Imposto de Renda sempre abaixo da inflação. Isso já provocou uma defasagem de 65% na tabela do imposto. Assim, a cada ano, mais e mais trabalhadores passaram a pagar mais imposto para o governo.

Ao invés de tributar os bancos e aqueles que ganham fortunas com investimentos financeiros com uma taxa de juros de 12,75%, o governo Dilma enfia a mão no bolso dos mais pobres. Como se não bastasse ela ter dificultado o acesso a direitos como o seguro-desemprego, cortado a pensão por morte, o abono do PIS/Pasep e o seguro-defeso dos pescadores. Nós do Solidariedade vamos continuar lutando contra essas medidas que o governo Dilma está implantando.