Pré-campanhas em tempo de pandemia

A medida de isolamento social, necessária para combater o Coronavírus foi um verdadeiro balde de água fria para quem está se organizando para as eleições de 2020. Tanto pré-candidatos, quanto diretórios, se viram surpreendidos com a notícia e veio a indagação: como trabalhar e fazer as articulações necessárias?

Nesse momento de isolamento, a internet se tornou a principal ferramenta para manter o relacionamento com filiados e eleitores. É preciso ter muita criatividade para ser eficaz e conseguir a atenção do público-alvo em um momento onde o único assunto que ganha destaque nas redes são as informações e os dados sobre os casos atingidos pelo vírus.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TRE), os prazos e as datas para a eleição de 2020 serão mantidos. Portanto, não dá para esperar a crise passar para tomar uma iniciativa ou ficar na esperança que a disputa para os cargos seja adiada.

Aproveite o tempo em casa para avaliar suas redes, fazer um planejamento e já comece a trabalhar. Você pode utilizar a tecnologia para fazer reuniões com a sua equipe, por meio de vídeo conferência ou chamada de vídeo pelo WhatsApp, além de fazer lives para manter o contato com os eleitores.

Normalmente, os eleitores esperam que os pré-candidatos divulguem suas propostas e bandeiras, mas em tempos de pandemia, é essencial se envolver, se colocar no lugar do outro e criar empatia. É na crise que surgem os grandes líderes e as boas ideias.

Se defende a educação, por exemplo, explique que também está preocupado com a situação, que ficar em casa é a melhor medida, mas analise as ações tomadas pela prefeitura com relação às aulas, avalie e dê sua opinião sobre os prejuízos para o ano letivo e como recuperar esse tempo. Se avaliar a atuação da prefeitura como negativa, diga os impactos e indique uma solução para o problema. Não faça críticas sem fundamento.

Da mesma forma, um pré-candidato que tem como bandeira os animais, pode informar os riscos que os pets podem estar correndo ou não. O fato de ficar em casa e não levar os cães para passear pode trazer quais danos mentais para o animal e, assim, por diante.

Se defende a saúde, terá assunto de sobra para debater, falar e analisar. Se trabalha com assistência social, veja quais as dificuldades da população, se necessitam de ajuda, se precisam de alguma doação e estude a melhor forma para colaborar com os vizinhos de forma segura.

Quando o outro se sente informado e nota sua preocupação, ele cria uma empatia e uma conexão, você passa a ser alguém acessível e de referência. Mas, não faça nada forçado, faça porque você sente a necessidade de ajudar. Quando cria uma situação, sem ser verdadeira, as pessoas percebem.

Também é preciso ter disciplina para criar conteúdos variados, de relevância e com uma frequência. Não adianta publicar hoje e depois postar daqui 15 dias, que esse relacionamento dificilmente será fortalecido.

Por fim, com as pessoas em casa, por causa do isolamento, têm mais pessoas acessando a internet e querendo se comunicar, aproveite para impulsionar seus conteúdos e, assim, atingir um maior número de pessoas e conquistar novos seguidores e possíveis eleitores.

Vamos seguir firmes, passaremos por essa fase difícil, mas com a internet e os meios de comunicação jamais estaremos sozinhos. O trabalho nas redes tem que ser sério e esse é o melhor período para engajar pessoas e conseguir aumentar a militância digital.

Bom trabalho a todos!