Ajuste do governo vai causar mais desemprego

O governo federal anunciou, na segunda-feira (14), um novo ajuste, visando cortar gastos e aumentar a arrecadação. Mas adivinha quem vai pagar a conta? Eu, você e milhões de trabalhadores, que vão sofrer na pele os efeitos das medidas anunciadas.

Um dos absurdos anunciados pela equipe econômica da presidente Dilma Rousseff é a tentativa de aprovar uma nova CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira). Quando foi criada em 1997, a ideia era que os recursos adquiridos fossem destinados à saúde. Porém, até 2007, quando foi extinta, a CPMF só serviu mesmo para fazer caixa para o governo.

Além disso, incapaz de investir no país, a presidente e sua equipe resolveram sangrar os servidores públicos, suspendendo reajustes dos salários e concursos. Isso só vai diminuir o poder de compra do servidor, que vai parar de consumir e, sem consumidor, o comércio não vende e as mercadorias ficam encalhadas, com isso a produção fica estagnada e as demissões vão aumentar. Quem vai pagar a conta? O trabalhador, como sempre!

Mas o governo não parou por aí. O PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), que contabiliza atrasos após atrasos, vai sofrer novos cortes também, com obras paralisadas, causando mais desemprego.

Por que o governo não se esforçou para cortar os ministérios, cargos de confiança e cartões corporativos? É esse tipo de corte que deve ser feito. Prejudicar o trabalhador não vai melhorar a economia, pelo contrário, só vai estagnar ainda mais.

A maior parte das medidas precisa ser aprovada na Câmara e no Senado. Por isso, os deputados do Solidariedade vão trabalhar para que a conta da incompetência do governo Dilma não recaia mais uma vez sobre os ombros dos trabalhadores brasileiros.