Solidariedade/RN deve lançar 33 candidatos para disputas de prefeituras e mais de 600 a vereadores

Após 7 anos de uma forte estruturação, o Solidariedade/RN está pronto para colher os frutos e aumentar sua bancada em todas as regiões do estado nas eleições de 2020. O parido deverá lançar mais de 600 pré-candidatos a vereadores e 33 que concorrerão às prefeituras, incluindo a capital, Natal, e a segunda maior cidade do estado, Mossoró, com os deputados estaduais Kelps Lima e Alysson Bezerra, respectivamente.

“Em todas as pesquisas eleitorais de prefeito, os nomes do Solidariedade aparecem em 2º lugar, atrás apenas dos atuais prefeitos das duas cidades, que utilizam sistematicamente a máquina administrativa de divulgação de imagem pessoal”, afirmou presidente estadual, Lawrence Amorim.

A grande vantagem para o pleito municipal é a formação das pessoas que representarão a legenda. O partido montou no estado a Escola de Jovens Líderes e a Escola de Vereadores que capacitam e orientam pré-candidatos para trabalharem em prol da população do Rio Grande Norte.

“Nossa meta é formar agora, na década entre 2020 a 2029, os políticos que, em 2030, estarão aptos a serem candidatos e gestores dos mais altos escalões da máquina pública, entre eles o de Governador”, projeta Lawrence.

A proibição de coligações no pleito deste ano, não será um problema para o partido, já que em eleições anteriores, a legenda trabalhou com chapa pura. “A nova legislação, agora em 2020, vai impactar decisivamente as eleições nos pequenos municípios do interior. Muitos grupos terão dificuldade de montar chapas próprias e este impacto está sendo analisado neste momento aqui pelo Solidariedade”, afirmou o presidente estadual.

O Solidariedade/RN está bem estruturado no estado e o presidente se mostrou confiante com o futuro do partido e com os resultados da disputa de 2020.

“Tenho certeza que o futuro político do Rio Grande do Norte passa pelo partido Solidariedade. Temos personagens jovens e politicamente muito fortes que estão construindo o alicerce para, em breve, ocuparmos cargos importantes da máquina pública. Hoje já sentimos essa influência no Legislativo, com a segunda maior bancada da Assembleia Legislativa e ocuparemos espaços também no Governo, na Câmara Federal e nas Prefeituras das maiores cidades”, concluiu..