Solidariedade repudia violência sexual e política sofrida por deputada estadual

A Secretaria da Mulher do Solidariedade repudia com veemência a violência política e sexual sofrida pela deputada estadual de São Paulo, Isa Penna (PSOL-SP), na noite de quarta-feira, dia 16 de dezembro, em sessão na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo).

Durante a votação do Orçamento do Estado, o deputado estadual Fernando Cury (Cidadania-SP) se aproxima, posiciona-se atrás da deputada e acaricia seu seio, constrangendo-a, numa tentativa clara de silenciamento.

Essa cena estarrecedora que assistimos é mais uma prova irrefutável do que as mulheres sofrem nos espaços públicos e privados. Demonstra um completo desrespeito às mulheres, de maneira geral, e às parlamentares, em particular.

Diariamente, milhares de mulheres em todo o mundo sofrem com a violência de gênero. No Brasil, os dados são inaceitáveis. Mais de 67% das vítimas de agressões físicas são mulheres. No período de março a agosto de 2020, a cada nove horas uma mulher foi vítima de feminicídio. Durante o mesmo período, o assassinato de mulheres aumentou 22% em 12 estados brasileiros. Não nos enganemos, esses não são dados isolados e representam um ataque direto à democracia.

Romper com o imaginário que permeia as relações sociais de que os homens possuem direitos sobre as mulheres e seus corpos, de que estas devem ficar restritas aos espaços privados e que são responsáveis pela própria violência que sofrem é urgente! Por isso, não aceitamos nenhum comportamento que venha a ratificar esse imaginário e contribuir para a manutenção do machismo estrutural.

Rechaçamos todo tipo de violência contra a mulher e, para que atos como esse não voltem a ocorrer, exigimos uma postura contundente do Presidente da Alesp.

A Secretaria da Mulher do Solidariedade está na luta pelo combate à violência contra a mulher em todas as instâncias e em apoio a todas as vítimas.

Denise Neri
Secretaria Nacional da Mulher do Solidariedade