Solidariedade projeta dobrar o número de representantes nas eleições

O ano de 2020 é muito importante para o Brasil e para o crescimento do Solidariedade. Os brasileiros dos 5.570 municípios terão a oportunidade de escolher seus representantes e esse é o momento do partido aumentar o número de vereadores, prefeitos e vice-prefeitos para fazer a mudança que o país precisa. A expectativa da executiva nacional é eleger mais de 3 mil pessoas nas eleições deste ano.

Para atingir a meta, o Solidariedade está trabalhando na organização com uma estrutura sólida em todos os estados. O secretário-geral nacional, Luiz Adriano, se mostrou satisfeito com o trabalho realizado.

“O partido vem trabalhando bem na estruturação das campanhas em cada um dos estados do Brasil. Temos uma meta de crescimento e vamos alcançar nosso objetivo”, declarou Luiz Adriano.

Neste ano, estão em vigor as novas regras eleitorais como, o fim das coligações e da implantação da cláusula de barreira de desempenho mínimo (10% do quociente eleitoral). De acordo com o secretário-geral, o partido está preparado para as mudanças. “Estamos trabalhando com esse novo modelo de eleições para conseguir um grande resultado em outubro”, relatou.

O Solidariedade irá disputar vagas em todo o país e deverá concorrer a prefeitura em, pelo menos, 13 capitais. A legenda conta, hoje, com 1501 eleitos, entre prefeitos, vice-prefeitos e vereadores, que têm realizado um grande trabalho nos municípios em prol da melhoria da qualidade de vida das pessoas, principalmente, das minorias.