Solidariedade estabelece metas ousadas para próximos anos; partido quer 1 milhão de filiados até 2026

A Executiva Nacional do Solidariedade tem se reunido individualmente com presidentes e dirigentes de todos os estados do País para fazer um balanço das eleições municipais de 2016, apresentar nova estrutura organizacional e estabelecer metas que vão até 2026. Os primeiros encontros aconteceram na quinta, sexta e segunda-feira (03, 04 e 7/11), na sede do partido em São Paulo, e contaram com a presença de representantes da Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Sergipe.

O presidente nacional do Solidariedade, deputado federal Paulinho da Força, explicou a todos, que optou em atender os estados individualmente para poder dar mais atenção a cada necessidade e estrutura. Ele também reforçou que as metas estabelecidas pelo partido são ousadas e precisará da colaboração e empenho dos dirigentes para que o Solidariedade consiga estar entre os partidos considerados grandes no Brasil.

“Precisamos dobrar o número de filiados em dois anos e chegar a um milhão até 2026”, afirmou Paulinho, que completou: “Apenas dois partidos no País tem mais de um milhão de filiados, o PT e o PMDB, nem o PSDB atingiu esse número. Por isso é preciso darmos atenção principalmente às necessidades dos jovens, que são a base de qualquer partido”.

Além de estabelecer metas para número de filiados, foram apresentadas também prospecções para cargos eletivos. Como as eleições municipais acabaram de ocorrer, é esperado que o Solidariedade faça mais de 4 mil vereadores em 2024, assim como 516 prefeitos e 768 vices. Para as eleições estaduais e federais, o partido espera alcançar 99 deputados estaduais até 2026 e 53 federais.

Presente às reuniões, o secretário executivo da Secretaria Geral do Solidariedade, Luiz Antônio Adriano da Silva (Luizão),  comentou:  “Todos os reais dirigentes políticos sabem que eleição não se faz em um ano, é preciso estratégia”.

Apesar de um notório crescimento do Solidariedade em todo País, os números atuais são bem diferentes da meta para 2026. O número de filiados gira em torno de 200 mil. As eleições deste ano renderam 1.438 vereadores, 63 prefeitos e 140 vices. Além de atualmente contar com 20 deputados estaduais e 14 federais.

Estiveram presentes nas reuniões além dos dirigentes estaduais, o presidente nacional do partido, Paulinho da Força, o secretário-geral João Inocentini, o secretário executivo da Secretaria Geral, Luiz Antônio Adriano da Silva (Luizão), o assessor da Secretaria Geral, Paulo Alves, a presidente da Fundação 1º de Maio, Samanta Costa, o coordenador técnico da Fundação, Diógenes Sandin, a jornalista Talita Benegra, Diogo Telles, assessor parlamentar da Secretaria de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário, o tesoureiro estadual de São Paulo, José Gaspar Ferraz e o presidente municipal de São Paulo, Cláudio Prado.

As próximas reuniões acontecem na quinta e sexta-feira (10 e 11/11) com os estados restantes.

Veja a avaliação de cada estado: