Solidariedade elegeu 228 mulheres nas eleições de 2020

Neste ano, o número de mulheres eleitas para as prefeituras brasileiras superou o de 2016. Do total de eleitos, 12,2% são representantes femininas. O crescimento também foi constatado nas Câmaras Municipais, com 16% das cadeiras ocupadas por vereadoras. O crescimento foi tímido, mas demonstra que a cada ano as mulheres ganham mais espaço na política, seja no Executivo ou no Legislativo.

“Apesar da baixa representatividade feminina nos espaços de poder, estamos avançando. Não conseguimos nas eleições de 2020 ocupar os 30% das cadeiras, mas chegaremos em breve. Para uma democracia representativa precisamos ocupar 50% das cadeiras, onde poderemos impingir políticas públicas sensíveis às pautas femininas”, explicou a secretária nacional da Mulher do Solidariedade, Denise Neri.

O Solidariedade é um exemplo do empoderamento feminino nas esferas políticas. Nas eleições deste ano, o partido conseguiu eleger 16 prefeitas, 14 vice-prefeitas e 198 vereadoras. Entre as gestoras vitoriosas está a de Uberaba (MG), Elisa Araújo, que concorreu para o segundo turno e recebeu mais de 57% dos votos.

A prefeita eleita, que toma posse em janeiro, é a primeira mulher a administrar a cidade mineira, cuja população é de quase 290 mil moradores. “Ser a primeira prefeita eleita em Uberaba é muito emocionante. Trabalhamos muito para isso e agora vamos mostrar a capacidade de gestão das mulheres”, afirmou Elisa Araújo.

Elisa é um exemplo do esforço que o Solidariedade tem feito para aumentar o número de representantes femininas na política nacional. Além dela, outras fazem história. É o caso da vereadora mais jovem eleita em Mogi das Cruzes, Malu Fernandes. Com apenas 21 anos, ela entra na política em defesa de uma educação pública de qualidade.

Elisa Araújo – Prefeita eleita Uberaba

LIDERA+ 

O Solidariedade investiu na formação política das mulheres por meio do Lidera+. O programa foi promovido pela Secretaria Nacional da Mulher do Solidariedade, em parceria com a Fundação 1º de Maio.

O objetivo tem sido capacitar mulheres que desejam atuar na política, desempenhando papel estratégico na sociedade, além de disputar cargos eletivos. Muitas alunas do Lidera+ concorreram ao pleito deste ano.

“O curso foi um sucesso e muitas foram vitoriosas nas suas campanhas. Todas saíram preparadas para o pleito, com conhecimento em todas as áreas necessárias para uma disputa eleitoral. Vamos investir cada vez mais na formação política das mulheres, pois conquistar uma vaga no legislativo ou executivo é um processo não só com as candidatas, mas também com a sociedade”, afirmou Denise Neri.

Vereadora Malu Fernandes- Mogi das Cruzes