Solidariedade elege vereador indígena do Xingu, no Mato Grosso

As eleições municipais deste ano foram especiais para a sociedade indígena que habita o Parque Indígena do Xingu. Isso porque o índio Mutuá Mehinaku, da etnia kuikuro, foi eleito vereador pelo Solidariedade no município Gaúcha do Norte, no Mato Grosso. Além dele, Voney Goiano, também do partido, será o prefeito da cidade.

“Quero representar meu povo na Câmara”, disse Mutuá, que explicou: “Vou fiscalizar para que o prefeito também invista no povo indígena, valorize e qualifique os professores das aldeias, construa escolas e aposte na educação”.

mutua-5

O índio, que é um dos professores da aldeia, aprendeu a falar português com o avô e hoje colabora para que todos da região saibam a língua, além de alfabetizar as crianças em Karib – falada pelos indígenas do Alto Xingu.

“Há pouco tempo, apenas cinco ou seis falavam o português. Com a escola, todos os jovens falam fluentemente. Apenas os mais velhos têm mais dificuldade com a língua”, contou o vereador eleito.

Mutuá estudou na primeira escola implantada na tribo Kuikuru e terminou o ensino fundamental lá. Conheceu a área urbana quando fez o ensino médio de Magistério. Conquistou o direito de ser um dos 180 índios do Mato Grosso que tiraram licenciatura em pedagogia na Universidade Federal do Estado em 2006.

mutua-4

Sempre atento aos direitos indígenas, frequentou cursos e palestras, fazendo contato com lideranças e autoridades municipais. Prestou concurso em 2007 e tornou-se professor efetivo do estado.

“Eu não parei por aí. Me apaixonei pelas línguas. Sabia que no Brasil existem 180 línguas diferentes? Quis fazer pós-graduação em linguística”, contou animado Mutuá. Ele também fez mestrado em Antropologia.

Há cerca de dois anos, após tanto estudo, sentiu-se preparado para encarar outro desafio: ajudar a organizar politicamente os índios do Mato Grosso. “Vamos eleger um representante nosso”, discursou ele para os caciques das 36 aldeias existentes nos nove municípios que contemplam o Parque Nacional do Xingu.

Pediu para que cada líder escolhesse um representante. Dos 36 eleitos, quatro seriam devidamente preparados para concorrer nas eleições municipais de 2020. Pensamos em um líder para cada região do Xingu: Alto Xingu, Médio Xingu, Baixo Xingu e Leste Xingu.

O projeto acabou sendo adiantado porque eles foram procurados por líderes do partido Solidariedade, que se interessaram em colaborar com a sociedade indígena. “Já escutava falar de vários partidos, mas não havia prestado atenção em nenhum”, explicou Mutuá, que já havia trabalhado na campanha de um parente e conhecia um pouco do processo. “Quando o pessoal do Solidariedade nos apresentou a legenda, fui saber tudo a respeito. Entrei nos sites do partido, conheci as propostas e resolvi aceitar a filiação e a candidatura pelo trabalho bem feito e atenção aos movimentos sociais”, afirmou ele.

Além da bandeira Educação, o vereador eleito quer trabalhar também para que os rituais da aldeia, como o Kuarupe – em homenagem aos mortos ilustres -, recebam investimentos da prefeitura. Outra área a ser trabalhada é a Saúde. Mutuá acredita e lutará pela implementação de Unidade Básica de Saúde (UBS) no município, já que os agentes locais, apesar de especializados, não têm instrumentos fundamentais para trabalhar, como aparelho de inalação e remédios para dores de cabeça.

mutua-2

“O único representante nacional que tivemos foi o deputado federal Mário Juruna, eleito em 1982. Os índios são esquecidos. Por isso, queremos preparar candidatos para disputar em todas as eleições e conseguiremos isso com ajuda do Solidariedade”, afirmou Mutuá.

Ele já faz planos de levar deputados estaduais e lideranças para visitarem as tribos para que possam conhecer de perto a realidade em que vivem. “Quem sabe não consigo até trazer o presidente do partido, Paulinho da Força, para cá”, disse.

O município em que Mutuá será vereador, Gaúcha do Norte, tem 7.000 habitantes, sendo 20% da população indígena. Já a aldeia Kuikuru, onde nasceu em 12 de setembro de 1980, conta com 500 índios, que ainda mantêm suas atividades produtivas, de pesca e religiosa-cultural.

mutua-3

Parque Indígena do Xingu

O Parque Indígena do Xingu localiza-se no Estado do Mato Grosso. Com 2.642.003 hectares, a demarcação administrativa do parque foi homologada em 1961, com área incidente nos municípios de Canarana, Paranatinga, São Félix do Araguaia, São José do Xingu, Gaúcha do Norte, Feliz Natal, Querência, Peixoto Azevedo e Marcelândia.

Por Talita Benegra