Solidariedade defende instalação de CPI da Funai e do Incra

Por uma questão de transparência e justiça, o partido Solidariedade apoia a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Funai e do Incra, que deve ocorrer nos próximos dias, conforme anunciado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.

Sabe-se das denúncias de envolvimento de aliados e representantes da gestão anterior em corrupção, desvio de recursos, lavagem de dinheiro e aparelhamento. Diante de tal situação, após assumir a administração da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário, além do Incra, o Solidariedade torna-se o principal interessado em apurar as informações, fazer justiça e arrumar as contas da pasta e da instituição.

Dessa forma, o partido alinha ações às diretrizes da legenda, que primam por defender os movimentos sociais e apoiar suas causas, entre elas, a promoção de políticas públicas para a boa convivência de agricultores, indígenas e quilombolas, após entender suas necessidades e especificidades.

A CPI deve apurar, entre outros pontos, supostas fraudes em demarcações de terra, discutir a questão da soberania nacional, segurança pública em terras indígenas na fronteira brasileira, vendas irregulares de lotes de reforma agrária, avaliar produtividade nos assentamentos e investigar denúncias de desmatamentos ilegais.

Já havia autorização para a recriação da CPI desde o final de agosto de 2016, mas a agenda eleitoral, com eleições municipais, colaborou para o adiamento do processo, que deve ser encerrado em dezembro deste ano.

Solidariedade