Solidariedade debate temas prioritários para jovens brasileiros

Dando continuidade à agenda do 2º semestre de 2016 do Solidariedade, o Grupo de Trabalho (GT) dos Jovens debateu temas prioritários a serem considerados pela secretaria do partido. Foram destacados educação, segurança, emprego, cultura, esporte e lazer. O encontro ocorreu na quinta e sexta-feira (12 e 13/8) no Leques Brasil Hotel-Escola, na Liberdade, em São Paulo (SP).

Sobre os temas em destaque, a evasão escolar, precariedade do ensino, baixas políticas públicas para a educação urbana e rural, corrupção, falta de vagas nas creches, trabalho informal e escravo, racismo e sucateamento da classe policial foram pontos considerados preocupantes para os jovens.

Algumas alternativas também foram apontadas para a melhoria da qualidade de vida de pessoas entre 16 e 35 anos. “A escola em tempo integral, apoio dentro das instituições para atender e aproximar as famílias e bibliotecas com acesso à internet são algumas alternativas para melhorar a educação dos nossos jovens”, exemplificou a presidente municipal de Ibitinga e candidata a vereadora, Alliny Sartori.

Leia também:

Para colaborar com jovens que têm filhos, os participantes sugeriram uma legislação para ampliar a presença de creches dentro de empresas, inclusive para as crianças que já saíram da idade de amamentação. Outras propostas como melhorar a qualidade do Programa Jovem Aprendiz, incentivo aos trabalhos sociais e à qualificação de funcionários dentro das empresas também foram assuntos apresentados.

“Esse encontro é o primeiro passo para que a secretaria comece a funcionar”, disse o coordenador político da Secretaria Geral, Luiz Antônio Adriano da Silva, que ressaltou: “O secretário vai trabalhar com as proposições de vocês. Viemos fazer a diferença e a diferença se faz com pessoas de atitude”.

Os participantes do GT também colaboraram com diretrizes para desenvolver a missão, visão e os valores da secretaria. Além de identificarem os seguintes segmentos para trabalhar: movimento estudantil, jovens agricultores e empreendedores, movimentos sociais, jovens pais, criminalidade, primeiro emprego, mulheres, formação política e vulnerabilidade do jovem.

“Todos temos sonhos, mas queremos construir esse sonho junto com vocês”, afirmou a presidente da Fundação 1º de Maio, Samanta Costa, aos jovens presentes e completou: “Estamos trabalhando para que os problemas deste país sejam muito pequenos e agradeço por contribuírem com nosso projeto”.

“O encontro foi bem positivo”, disse o participante Rodrigo Cavalcanti, presidente da Secretaria dos Jovens de Recife. “O grupo selecionado é rico em informação e saiu muita coisa boa daqui hoje para colaborar com o trabalho da secretaria”, afirmou.

Giovanni Byl, candidato a vereador de Porto Alegre, também esteve no encontro e saiu satisfeito com o debate. “É interessante a integração entre os jovens de todas as regiões do país. No final percebemos que as dificuldades são as mesmas, o preconceito com o jovem, negro e pobre acontece em todos os lugares”, lamentou ele.

No encerramento do evento, Rodrigo emocionou os participantes ao recitar um poema de Valéria Fagundes, uma estudante pernambucana que escreveu os versos para conseguir transporte decente para estudar. Hoje, ela e outros jovens dispõem de ônibus, mas anteriormente utilizavam um caminhão de lixo para percorrer 30 quilômetros até a escola.

O Grupo de Trabalho foi executado pela Fundação 1º de Maio – entidade de formação política ligada ao Solidariedade -, e todas as informações coletadas durante o encontro serão levadas à Secretaria Geral do partido para serem analisadas e as ferramentas deliberadas para a Secretaria dos Jovens.

“Eu não tenho conseguido acompanhar todos os eventos do Solidariedade e da Fundação 1º de Maio, mas estou sabendo que só no 1º semestre deste ano, capacitamos cerca de 7 mil pessoas para tentar mudar a imagem da política do Brasil”, falou o presidente nacional do partido, o deputado federal Paulinho da Força. “Há muitos partidos, mas para nos destacarmos, temos que trabalhar muito e é isso que estamos fazendo”.

Por: Talita Benegra