Solidariedade/BA investe no empoderamento das mulheres

O Solidariedade aposta na força das mulheres na disputa eleitoral de 2020. Segundo o presidente da legenda na Bahia, Luciano Araújo, a participação feminina nos espaços da política institucional é muito importante para as mudanças necessárias e para o empoderamento das mulheres para a tomada de decisões.

Em Salvador, o presidente municipal do partido, vereador Fábio Souza, explica que as pré-candidaturas femininas do partido estão acima dos percentuais mínimos estabelecidos pela cota. Segundo a Lei nº 9.504/1997 (Lei das Eleições), as legendas devem ter pelo menos 30% de candidatas mulheres.

“Na capital da Bahia, o Solidariedade tem cerca de 70 pré-candidatos filiados para concorrer à eleição municipal nas proporcionais. Deste número, 25 são mulheres. Mais na frente serão definidos os nomes oficiais dos candidatos”, afirmou Fábio.

No interior do estado, o partido conta com diversas pré-candidaturas de mulheres para o pleito de 2020.

Mulheres no processo eleitoral

Gilmaria Oliveira do Santos é secretária estadual da Mulher do Solidariedade na Bahia. “Sou mulher negra e educadora e me sinto privilegiada por integrar um partido que investe para que as mulheres tenham o seu lugar na política. Temos uma cota de 30%, mas esperamos que esse percentual mude para 50%, pois as mulheres devem ter os mesmos direitos na política que os homens”, frisou.

Segundo Licia Macieira Freire, médica e pré-candidata a prefeita pelo Solidariedade no município de Planaltino, a mulher ocupa ainda um espaço muito pequeno dentro da política. “Acredito que devemos isso ao machismo. Hoje tem que ser dada a devida importância à mulher, já que ela representa quase 53% do eleitorado brasileiro. Me sinto orgulhosa em fazer parte do partido Solidariedade, pois é uma legenda que valoriza a participação da mulher nas esferas de poder”, disse. Licia Freire foi a primeira prefeita de Planaltino, em 2001, e reeleita em 2005.

Já para a vereadora Zenivan Araújo Couto (dona Zeni), pré-candidata do Solidariedade à prefeita em Dias D´Ávila, é fundamental a participação ativa das mulheres na busca de ocupar espaço de poder político. “Isto é indispensável para o fortalecimento da nossa democracia e formação de uma sociedade mais justa no combate à desigualdade contra a mulher. Sinto-me honrada em ser filiada ao partido Solidariedade, cujos líderes destacam a mulher como um pilar de sustentação da política”, afirmou.

De acordo com Patrícia Miranda Maia, pré-candidata a prefeita de Mirangaba, a ampliação da participação da mulher na política garante o aprimoramento da qualidade da democracia. “Nós ocupamos o espaço da mulher no século XXI quando tomamos a consciência de que devemos fazer parte do processo político, não apenas como eleitora, mas como parte integrante da construção de cidadania”, disse.

O Solidariedade conta também com a  advogada Lia Barroso, pré-candidata a prefeita de Santo Antônio de Jesus, que afirma ser necessário garantir a voz das mulheres na política. “É necessário que a mulher venha garantir seu espaço, não somente no trabalho, na sociedade, nos postos de mando nas empresas, nas entidades, mas especialmente na política, participando do poder que representa o caminho mais curto para mudar o curso da história de subordinação e discriminação milenar a qual a mulher encontra-se submetida” afirmou.

Segundo ela, o Solidariedade tem realizado um trabalho significativo de apoio as mulheres na política, impulsionando e reforçando a participação feminina no poder. “Esta bandeira nos diferencia de outros partidos”, sintetizou.