Seminário nacional reforça comunicação do Solidariedade

O Solidariedade realizou, com apoio da Fundação 1º de Maio, nos dias 19 e 20 de novembro o 1º Seminário de Comunicação do partido, em Brasília (DF). Participaram do evento comunicadores de vários estados brasileiros, que atuam no Solidariedade nos níveis nacional e estadual, e profissionais que trabalham com deputados federais e estaduais da legenda.

A abertura do evento coube ao deputado federal Fernando Francischini (PR), secretário nacional de Comunicação do partido. Ele destacou a importância estratégica da comunicação para a consolidação do Solidariedade como um partido capaz de arejar a política e melhorar a vida da população. “Uma boa comunicação ajuda o partido a ter coerência interna, a ter mais debate e, o mais importante, aproxima a política do cidadão”, afirmou. “Temos muitos políticos bons, que fazem um trabalho de verdade em defesa das suas causas e da população, mas a falta de uma comunicação eficaz faz com que tudo pareça ‘farinha do mesmo saco’, faz com que todos fiquem parecidos. Este encontro é um passo muito importante para mudarmos esse cenário”, completou.

O presidente nacional do partido, deputado federal Paulinho da Força, destacou a importância de todos falarem a mesma linguagem em todo o Brasil e a necessidade de integrar o discurso do Solidariedade.

“O encontro foi fundamental para promover o diálogo entre cada um dos nossos organismos: o partido, o Congresso, as Câmaras Municipais e as Assembleias Legislativas. A importância desse encontro é para integrar o nosso discurso, levar o nosso programa pra falar de saúde, de educação, de transporte e falar do dia a dia”, destacou Paulinho.

O deputado estadual Kelps Lima, do Solidariedade do Rio Grande do Norte, afirmou que após o seminário, é preciso seguir em frente e dar os próximos passos. “Bastante enriquecedor o Seminário de Comunicação do Solidariedade. Precisamos dar os próximos passos. Quanto mais próximos e afinados estivermos, maior a dimensão do partido em todo Brasil”, salientou.

Palestras

O seminário contou com palestras sobre temas pertinentes da comunicação, além da organização e ideologia partidária. O primeiro tema apresentado foi “Oportunidades de comunicação na atual crise política”, com o publicitário André Torretta. Entre os temas abordados, Torretta destacou a necessidade de que a comunicação política se aproxime da linguagem da população e de suas necessidades atuais. Para ele, o Brasil mudou muito nas últimas décadas e isso mudou também a relação do cidadão com a política. Daí a necessidade de que os representantes do povo falem a linguagem das pessoas, seja do interior, seja das periferias. Para ele, definitivamente, a comunicação burocrática, longe da rua, tende a perder cada vez mais espaço.

O diretor técnico da Fundação 1º de maio, Diógenes Sandim, abordou os temas “Organização e planejamento do Solidariedade” e “Ideologia e formação como bases da atuação partidária”, este último em conjunto com o coordenador de comunicação da Fundação, Guilherme Martinelli. Diógenes citou como um bom texto de referência o artigo “Concertação nacional sem Dilma”, artigo de Paulinho da Força publicado no jornal O Globo. No texto, Paulinho defende que o Brasil chegou a uma encruzilhada e que precisa de uma união de forças para alcançar sua vocação histórica de desenvolvimento e melhoria social.

Considerado o “mago das mídias sociais”, Eden Wiedemann falou sobre “Uso de mídias sociais em partidos e campanhas”, destacando, entre outros temas, a necessidade de profissionalização da atuação dos partidos e lideranças em mídias sociais. Para ele, “acabou o tempo da campanha curta, feita só na época da eleição”. Ou os partidos se profissionalizam e estabelecem uma atuação contínua e boa nas redes, ou perderão terreno para aqueles que tomarem esse caminho.

A jornalista Helena Chagas, ex-ministra de Comunicação da Presidência da República, palestrou sobre “Assessoria de imprensa e gerenciamento de crises”. A importância do planejamento e da articulação de ações de comunicação no enfrentamento de crises foi um dos temas abordados.

Outro momento importante do encontro foi a discussão sobre as diretrizes de comunicação do Solidariedade, coordenada pelo jornalista Almir Teixeira, da comunicação nacional do Solidariedade e da presidência nacional do partido. Os participantes discutiram as propostas e deixaram contribuições para a elaboração do Plano de Comunicação do Solidariedade, documento a ser consolidado, de maneira democrática, nos próximos meses.