“Política agrícola do governo prejudica produtores rurais”, diz o deputado Zé Silva

O deputado Zé Silva (Solidariedade-MG) afirmou nesta quarta-feira (2), no Plenário da Câmara, que a política agrícola dos sucessivos governos brasileiros não tem sido capaz de garantir rentabilidade no campo. Silva foi o autor do requerimento da comissão geral sobre a renegociação da dívida dos produtores rurais.

Segundo o parlamentar, de 1995 até os dias atuais, o Estado tomou uma série de medidas que não resolveram o problema, como a criação do Programa Especial de Saneamento de Ativos – uma série de leis que amortizaram as dívidas dos produtores e de apoio à agricultura familiar. “Não precisa de mais leis porque, mesmo com elas, os produtores não conseguem renegociar suas dívidas. A maior praga da agricultura é o governo federal, e não só este que está aí não”, declarou.

Completou, ainda, sobre a falta de planejamento. “É preciso planejar em médio prazo, pelo menos.” De acordo com Silva, o governo anuncia as medidas em cima da hora e não chama os agricultores para negociar com antecedência. O deputado criticou também as altas taxas de juros que incidem sobre as dívidas do setor e apontou que a alta do dólar aumentou os custos de produção e comprometeu a renda. Sua preocupação é que os agricultores entrem em um novo ciclo de endividamento.

Em discurso, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, afirmou que a renda do produtor atualmente está afetada pela taxa de juros, câmbio, entre outros riscos econômicos, além dos problemas climáticos. Nos últimos anos, propostas do Executivo foram enviadas ao Congresso e aprovadas com emendas. “Mas as ações tomadas não foram suficiente para o total equacionamento dos problemas”, acrescentou Cunha.

Fonte: Assessoria de Imprensa – deputado Zé Silva