Genecias Noronha lamenta corte no orçamento do Cinturão das Águas

Em entrevista ao programa Fala Ceará, o deputado federal e presidente estadual do Solidariedade, Genecias Noronha (CE), lamentou o corte no orçamento das obras do Cinturão das Águas, defendendo que, ao invés de medidas como essa, o governo federal deveria se programar melhor e buscar solução definitiva para problemas graves, como a seca.

“Fico triste que a presidente Dilma Rousseff, eleita com o voto dos nordestinos, tenha baixado decreto que bloqueia recursos para o Cinturão das Águas. Não sei o que ela tem tanto contra os cearenses e não sei por que tanta falta de vontade com o Ceará”, lamentou.

De acordo com o parlamentar, essa não é a única decepção com o tratamento que o governo federal vem tendo para com o estado. O fim da Refinaria Premium II, anunciado no início do ano, frustrou não apenas a bancada cearense no Congresso, mas todo o povo do Ceará, segundo Genecias Noronha.

“Ela (Dilma Rousseff) se elegeu, o Lula se elegeu, prometendo essa refinaria, e tirou o sonho, nos frustrou quando veio a notícia do cancelamento do investimento por parte da Petrobras. Agora veio o bloqueio dos recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) onde o Cinturão será prejudicado”, pontuou.

Cariri

O Cinturão das Águas vai garantir o abastecimento hídrico beneficiando toda a região do Cariri. Com 158 km de extensão, o primeiro trecho da obra vai levar água do reservatório Jati, no Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco, para todo o Cariri, passando pelo rio Cariús, afluente do Jaguaribe, chegando até o açude Orós.

Trata-se de um amplo sistema, a partir de um canal principal com 30 metros cúbicos de vazão, capaz de abastecer 17 municípios cearenses com água para consumo humano, hidratação animal e também para promoção da agricultura irrigada e de atividades industriais.

Segundo Genecias Noronha, a suspenção da obra é até o mês de julho, quando a União volta a analisar se corta em definitivo o orçamento para a construção do empreendimento ou se o projeto terá continuidade.

Na opinião do deputado, já deveria haver, no Nordeste, uma solução definitiva para a convivência com a seca. Ele lembrou que, em Israel, há soluções modernas que podem servir de exemplo para o Brasil. “Se no Ceará, a cada 10 anos, seis são de seca, então já era para ter solução definitiva”, cobrou.

Reforma política

Genecias Noronha também falou sobre reforma política, defendendo “já estar mais do que na hora” de aprovar esse projeto. Ele defendeu pontos como a unificação das eleições – o que, em sua opinião, diminuiria as despesas do processo eleitoral –, e o estabelecimento de regras mais rígidas para a criação de partidos.

Na última quarta-feira (25), a Câmara dos Deputados aprovou um projeto de lei que dificulta a fusão de partidos, permitindo a fusão de legendas que tiverem registro há pelo menos cinco anos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“Não estão mais criando partido por ideologia, mas para fazer negócio. Como se cria um partido com data marcada para se fundir com outro? Donos de partido criando outro partido para negociar com o governo. Já aprovamos na última quarta-feira um projeto estabelecendo uma quarentena de cinco anos para que um partido criado possa se fundir com outro”, explicou.

Empregos

O deputado defendeu ainda a geração de empregos no Ceará, através da atração de novas indústrias, como as chamadas “linha branca”, e as montadoras de automóveis. Para isso, Genecias Noronha afirma ser necessário dar incentivo para que essas indústrias possam se instalar no Ceará. Porém, avalia, essa iniciativa deve partir tanto do governo do Estado quanto da União. “O governo federal deve ser um grande parceiro e o governo do estado deve ser o indutor na atração dessas empresas”, finalizou.

 

Solidariedade na Camâra