Francischini entra com ação na Justiça do Paraná para evitar que Eugênio Aragão mexa na Lava-Jato:

O deputado Fernando Francischini (Solidariedade/PR) vai entrar com ação popular na Justiça Federal do Paraná, nesta segunda-feira (21), para sustar preventivamente qualquer requisição de troca de membros da Operação Lava-Jato. A ação do parlamentar procura neutralizar as afirmações do novo ministro da Justiça, Eugênio Aragão, que disse ao jornal “Folha de S.Paulo”, no sábado (19), que não vai tolerar vazamentos de investigações e que, se “cheirar” vazamento por um agente, a equipe inteira será trocada, sem a necessidade de ter prova.

Francischini afirma que a declaração do ministro atropela a jurisprudência que disciplina a investigação criminal conduzida pelo delegado de polícia. De acordo com a Lei 12.830/2013, um inquérito policial e a equipe que o apura só poderão ser modificados ou redistribuídos mediante provas que demonstrem claramente negligência com relação aos procedimentos previstos no regulamento da corporação. O termo ainda confere ao investigador chefe do inquérito a requisição de perícia, informações, documentos e dados que interessem à apuração dos fatos.

“A instituição da Polícia Federal e eu, como seu integrante, entendemos que as afirmações do ministro soaram como ameaça à corporação. O novo ministro é claramente um soldado de Lula e entrou em campo para atrapalhar as investigações da Lava-Jato. Temos o dever de preservar e evocar a Lei para que o PT não tente dar mais esse golpe contra o Brasil”, disse Francischini.