Encontro de vereadores fortalece o Solidariedade-SP rumo às eleições 2016

Neste sábado (2), o Solidariedade do Estado de São Paulo promoveu seu 1º Encontro de Vereadores, em Agudos, no Hotel Bonanza. Entre os temas abordados estão: orientações gerais para a eleição, fortalecimento do partido, aproximação da base com as lideranças do partido, política participativa e integração da sociedade com o poder público em assuntos que fazem parte de seu cotidiano.

Entre os dirigentes do Solidariedade presentes no evento estavam o presidente nacional e deputado federal, Paulinho da Força; o presidente da estadual de São Paulo, David Martins; o secretário-geral estadual, Alexandre Pereira; o prefeito de Agudos, Everton Octaviani; o secretário estadual de Emprego e Relações do Trabalho do Estado de São Paulo, José Luís Ribeiro; a secretária nacional da Mulher, Eunice Cabral; o secretário estadual de Proteção aos Animais, Valdir Alvarenga; o vice-presidente do Solidariedade São Paulo; Luiz Carlos Anastácio (Paçoca), o secretário estadual do Solidariedade Jovem, Rodrigo Morais, além de dezenas lideranças políticas do estado e do país.

Durante o evento, o presidente nacional e deputado federal, Paulinho da Força destacou que em apenas 2 anos e 9 meses, o Solidariedade já possui 166 mil filiados em todo Brasil. Para ele, ao contrário de outras legendas, o Solidariedade tende a crescer e atrair ainda mais filiações. “O nosso partido, diferente dos outros que estão quase definhando, o nosso está crescendo. Já estamos a caminho de 200 mil filiados. Isso demonstra que as pessoas precisam do novo, que já estão cansadas do mesmo”, afirmou.

O parlamentar também falou da corrupção generalizada no Brasil, que envolve principalmente parlamentares e aliados do PT, ministros e ex-ministros das gestões de Lula e Dilma Rousseff, além de empreiteiras e empresários. Ao parabenizar a Lava-Jato, Paulinho da Força ressaltou que os brasileiros não toleram mais atos de corrupção nos governos.

“Se alguém pensa que vai entrar na política para roubar, está muito enganado. Vai é parar na cadeia, seja vereador, deputado, senador, prefeito, governador ou presidente. Entramos na política para melhorar a vida das pessoas e não a nossa. É melhor perder uma eleição falando a verdade, do que vencer mentindo. Esse ano, o povo vai varrer o PT das prefeituras de São Paulo, porque ninguém aguenta mais tanta mentira e incompetência”, enfatizou.

Demandas municipais – No encontro, os pré-candidatos e as lideranças locais foram orientados sobre como atender às demandas dos municípios, defender o fortalecimento das instituições e ampliar o partido por todo o estado. Os políticos também receberam informações jurídicas sobre as regras eleitorais deste ano.

O presidente do Solidariedade de São Paulo, David Martins elogiou os vereadores presentes e disse que por eles estarem no encontro já é uma prova de comprometimento, uma prova de que eles não estão pensando só no próprio trabalho, mas na construção do partido.

“Ser político nos dias de hoje não é fácil, pois o PT imprimiu um rótulo de que todo político é corrupto. O Solidariedade tem de ser a esperança do eleitor e o futuro de uma política honesta”, afirmou David Martins.

Durante o evento, ele também apresentou o material “Corrente dos Melhores Amigos do Solidariedade”. O objetivo do é atrair novos filiados para o partido e preparar o partido para as eleições.

O secretário-geral do Solidariedade São Paulo, Alexandre Pereira também destacou a importância do encontro. “Se a gente organiza o partido com vocês, que estão atuando junto à população, o Solidariedade cresce, vai para frente”. Além disso, ele lembrou que o partido tem uma grande chance de ocupar o espaço político, pois “a população acredita que a política tem que mudar e nosso partido pode representar essa necessidade da população”, ressaltou.

Por ser um partido novo, este ano é a primeira vez que o Solidariedade concorre a uma eleição municipal. No Brasil todo, o partido tem 1.600 vereadores e 14.914 pré-candidatos a vereador, tendo como expectativa eleger, pelo menos, 1.870. A legenda também conta com 479 pré-candidatos a prefeito – pretendendo eleger 204 ao cargo principal e 244 vices.