Duque, da Petrobras, roubou mais de 300 mil trabalhadores

O presidente do Solidariedade, deputado federal Paulinho da Força (SP), acusou o ex-diretor da Petrobras, Renato Duque, de ter roubado mais de 300 mil trabalhadores que acreditaram na empresa e compraram ações com suas contas do Fundo de Garantia. A acusação foi feita nesta quinta-feira durante a sessão da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Petrobras.

Paulinho deu um exemplo pessoal. “Alguns anos atrás, usei R$ 18 mil do FGTS para comprar ações da Petrobras. Fui o primeiro metalúrgico a fazer isso. Essas ações chegaram a valer R$ 298 mil. Hoje valem apenas R$ 40 mil”, afirmou o deputado.

Segundo o presidente do Solidariedade, a serviço do PT e de seu tesoureiro, João Vaccari, Duque assaltou os trabalhadores na maior cara de pau. “Da parte que já se sabe, o desvio para o partido foi de 200 milhões de dólares”, argumentou.

“Você não tem vergonha de ficar calado, depois de ter dado esse prejuízo danado”, atacou Paulinho, ao condenar a postura do ex-diretor de se recusar a responder as perguntas que lhe foram feitas.