Deputado Arthur Maia diz a Levy para ‘esquecer a CPMF’

O deputado Arthur Oliveira Maia (Solidariedade-BA) pediu que o ministro apresente alternativas à contribuição. (Foto: Antonio Barbosa da Silva)

Durante a sessão da Comissão Geral da Câmara dos Deputados nesta quarta-feira(14), o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, teve uma noção da dificuldade que terá para ver aprovada no Congresso Nacional a recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) e outras medidas de ajuste fiscal.

O deputado Arthur Oliveira Maia (Solidariedade-BA) pediu que o ministro apresente alternativas à contribuição.

“Esqueça a CPMF! Ela não será aprovada porque é um imposto condenado pela opinião pública”, disse ao ministro.

Maia lembrou que o tributo não foi renovado em 2007 quando o ex-presidente Lula possuía altos índices de popularidade e amplo apoio no Congresso.

“A presidente Dilma não vai conseguir transferir essa conta com a CPMF. Esse ajuste se baseia em uma ficção”, afirmou Maia.

O parlamentar cobrou ainda respeito ao Tribunal de Contas da União (TCU).

“O governo deveria dar uma resposta técnica, objetiva e verdadeira ao TCU, e não desqualificá-lo, como se fosse um anexo do Palácio do Planalto”, completou.

Interesses

Já o deputado Domingos Neto (PROS/CE) disse que há muita desconfiança em relação ao ajuste e que vincular a CPMF à Previdência Social é empurrar com a barriga qualquer reforma.

“Desconhecemos as propostas do governo para a reforma da Previdência. Não existe intenção de se reformar a Previdência se a CPMF for vinculada a ela”, ressaltou.

(Com informações da Agência Estado e da agência Câmara Notícias)