Nova Secretária da Mulher, Loreny, apresenta suas ideias e princípios para as filiadas e filiados

Nesta semana, com imensa satisfação, assumi o cargo de Secretária da Mulher do Solidariedade a convite do presidente nacional do partido, Paulinho da Força.

Para mim é extremamente simbólico assumir a Secretaria em um mês que é um marco para a luta feminina por direitos, igualdade e respeito. A partir daqui, iniciamos mais um ciclo de luta, rupturas e construções e cada passo faz a diferença. Além disso, sei da responsabilidade que tenho ao assumir este compromisso de dar continuidade aos trabalhos iniciados pela minha antecessora, Denise Neri, que tanto batalhou para ampliar a participação de mulheres na política. Sua história, assim como a de todas as mulheres que estão na luta, me servirão como potência.

Pensar em qualquer transformação social sem considerar as vozes, em toda a sua diversidade, de mulheres que diariamente lidam com as dificuldades impostas por uma sociedade estruturalmente machista é inconcebível. Por isso, o primeiro compromisso que assumo com todas as filiadas do Solidariedade é o da escuta.

Parte desse trabalho já foi iniciado com a aplicação de uma pesquisa de opinião com todas as mulheres que já passaram pelo partido. Essa iniciativa é de extrema relevância, pois nos trouxe mais clareza sobre o que pensam nossas filiadas e vai nos permitir traçar objetivos alinhados com as expectativas daquelas a quem iremos representar. Traçaremos metas ousadas para produzir a mudança que vocês desejam.

Nas últimas eleições, apesar do aumento no número de candidatas, as mulheres alcançaram apenas 11,6% das prefeituras do país. Nos demais âmbitos, a realidade não é diferente. Segundo um estudo produzido pelo Instituto Patrícia Galvão, se continuarmos nesse ritmo só atingiremos a igualdade política em 2118. Não podemos esperar tanto. Aliás, já cansamos de esperar.

Por isso, me comprometo também a trabalhar arduamente pela ampliação do número de mulheres eleitas, garantindo formação política de excelência para que tenham reais condições de competir em paridade com os homens e promovendo as mudanças necessárias para transformar nossas metas em realidade.

Agradeço imensamente a confiança e apoio do Solidariedade e da Fundação 1º de Maio e toda a estrutura dispendida para que possamos realizar esse trabalho.

Convido a todas para se unirem a nós nesse novo ciclo.
Loreny,
Secretária da Mulher do Solidariedade