Arthur Maia quer incluir educação financeira no currículo das escolas

O líder do Solidariedade, deputado Arthur Oliveira Maia (BA), apresentou na quinta-feira (19) um Projeto de Lei (PL) 3691/15, que tem como objetivo incluir o ensino da Educação Financeira e Finanças Pessoais como disciplina obrigatória nos currículos do ensino fundamental e do ensino médio.

O parlamentar explica que a proposta objetiva a formação plena do aluno e seu desenvolvimento na vida familiar, na convivência humana e no trabalho, dando-lhe ferramentas para tomada de decisões financeiras mais conscientes, fortalecendo a cidadania e aumentando a eficiência e solidez do sistema financeiro.

“Vivemos em um momento de crise econômica intensa, que atinge toda nossa sociedade, e se desejamos reverter essa realidade precisamos, de fato, educar a coletividade desde a sua base. A educação financeira auxilia na administração dos recursos do indivíduo e da família, incluindo orientações sobre os investimentos que devem ser feitos”, destaca Maia.

A Lei de Diretrizes Básicas (LDB) prevê que os currículos têm que abranger, entre outras matérias, o ensino da realidade social do nosso país. No entanto, hoje, esse ensino não é tratado como componente curricular, apenas como conteúdo obrigatório.

“Se pretendemos construir uma sociedade pensante, responsável, cidadã e capaz, precisamos urgentemente tornar a Educação Financeira e Finanças Pessoais como disciplina obrigatória na educação básica”, defende o líder do Solidariedade.

Maia acredita que a educação financeira promove uma mudança de comportamento com relação ao dinheiro, visando a realização de objetivos futuros e não o consumo imediatista.

“Os pequenos entendem com muita facilidade essa diferença, a partir do momento que damos mesada, por exemplo, e os incentivamos a ter sonhos. Dessa forma, eles compreendem que os recursos financeiros não podem nunca ser a finalidade, ou seja, não devem trabalhar a vida inteira apenas para ter dinheiro, mas sim para realizar os objetivos”, mencionou o parlamentar.