Preços de matérias-primas desaceleram e IGP-10 reduz alta a 3,20% em outubro – G1

O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) desacelerou para 3,20% em outubro, ante alta de 4,34% no mês anterior, de acordo com dados divulgados nesta sexta-feira (16) pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

Com este resultado, o índice passou a acumular, porém, alta de 17,63% no ano e de 19,85% em 12 meses. Em outubro de 2019, o índice subira 0,77% no mês e acumulava elevação de 2,97% em 12 meses.

O IGP-10 calcula os preços ao produtor (IPA), consumidor (IPC) e na construção civil (INCC) entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

Segundo a FGV, a desaceleração é explicada principalmente pelo ritmo de alta das matérias-primas brutas do IPA (de 11,17% em setembro para 5,77% em outubro.

“O minério de ferro, commodity de maior peso no IPA, registrou queda de 0,44%, ante alta de 16,01% em setembro. Recuos importantes também foram registrados para milho (15,20% para 9,16%) e café (9,05% para -6,02%). A desaceleração do IGP não foi mais intensa devido à elevação de seus dois outros índices componentes IPC (0,46% para 0,98%) e INCC (0,80% para 1,51%). O primeiro, pressionado por gêneros alimentícios (1,37% para 2,81%) e passagens aéreas (6,97% para 54,11%), já o segundo, por materiais e equipamentos para a construção (2,03% para 3,83%)”, afirma André Braz, Coordenador dos Índices de Preços.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) variou 4,06% em outubro. No mês anterior, o índice havia registrado taxa de 5,99%.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,98% em outubro, ante 0,46% em setembro.

Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 1,51% em outubro, contra 0,80% em setembro.

Continue lendo