Preço do aluguel sobe em outubro e acumula alta de 4,2% em 2019 – R7

O preço médio da locação residencial no Brasil subiu pela 11ª vez seguida em outubro e fechou o mês com alta de 0,41%, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira (19), pelo índice FipeZap, que acompanha a variação no preço de anúncios para novos aluguéis em 25 cidades brasileiras.

Com a variação do mês passado, o valor das novas locações já acumula alta nominal de 4,27%. Apesar de representar uma alta real de 1,62%, o preço figura 0,49% abaixo do salto de 4,79% apresentado pelo IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado) no período. O indicador é conhecido popularmente com a “inflação do aluguel” por ser utilizado para o reajusta da maioria dos contratos.

Na análise do preço cobrado por metro quadrado dos imóveis disponíveis para locação, o FIpeZap aponta que cada espaço mínimo de terra era oferecido por, em média, R$ 29,75 nas localidades pesquisadas.

Significa dizer que para colocar as mãos nas chaves de um apartamento padrão, com um ou dois dormitórios e 65 m², é necessário desembolar mensalmente cerca de R$ 1.933 ao proprietário.

Cidades

São Paulo se manteve por mais um mês como a cidade com o preço do metro quadrado de locação residencial mais elevado do país (R$ 39,95). Somente em 2019, os valores na capital paulista saltaram quase 7,2%.

A principal cidade brasileira é seguida no índice pelos municípios de Barueri (R$ 35,78) e Santos (R$ 31,17), ambos também localizados no Estado de São Paulo.

Superado por Santos no índice de outubro, o Rio de Janeiro (RJ) figura com o metro quadrado para locação na faixa dos R$ 30,54. O valor é apenas R$ 0,16 superior aos R$ 30,38 cobrados por cada espaço mínimo de terra em na cidade de Brasília (DF).

Na outra ponta do indicador, o município com o metro quadrado mais baratos para quem planeja morar de aluguel é São José do Rio Preto (R$ 15,31).

Em sequência, aparecem os municípios de Pelotas (RS), Ribeirão Preto (SP), Goiânia (GO), São José (SC) e Fortaleza (CE), onde o valor médio do espaço mínimo de terra disponível para locação é de, respectivamente, R$ 16,19, R$ 16,51, R$ 16,86, R$ 17,14 e R$ 17,66.

Na análise somente das 11 capitais acompanhadas pelo índice, Curitiba foi aquela que apresentou a maior elevação de preço (+1,41%) em outubro. Por outro lado, a única capital a registrar recuo de preço no mês passado foi Salvador (-0,39%).

Continue lendo