Inflação da baixa renda desacelera para 0,02% em fevereiro, aponta FGV – G1

O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1) — que mede a variação de preços de produtos e serviços para famílias com renda entre um e 2,5 salários mínimos — apresentou inflação de 0,02% em fevereiro, após registrar taxa de 0,55% em janeiro, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quinta-feira (5).

Com este resultado, o indicador acumula alta de 0,57% no ano e 4,06% nos últimos 12 meses.

Já o IPC-Br, que mede a variação de preços para famílias com renda de um a 33 salários mínimos mensais, registrou deflação de 0,01% em fevereiro. A taxa do indicador nos últimos 12 meses ficou em 3,76%, nível abaixo do registrado pelo IPC-C1.

Nesta apuração, 7 das 8 classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas: Habitação (0,37% para -0,54%), Educação, Leitura e Recreação (2,48% para -0,32%), Transportes (0,50% para -0,03%), Alimentação (0,83% para 0,51%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,29% para 0,26%), Comunicação (0,15% para 0,11%) e Despesas Diversas (0,16% para 0,15%).

“Nestas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens: tarifa de eletricidade residencial (0,86% para -2,60%), cursos formais (5,07% para -0,02%), gasolina (1,02% para -1,64%), frutas (3,32% para 1,41%), serviços de cuidados pessoais (0,35% para 0,17%), mensalidade para TV por assinatura (1,00% para 0,21%) e alimentos para animais domésticos (0,66% para -2,19%)”, apontou a FGV no relatório.

Em contrapartida, o grupo vestuário apresentou avanço (-0,24% para 0,32%) em sua taxa de variação. Nesta classe de despesa, o item roupas teve taxa de 0,48%, ante deflação de 0,52% no mês anterior.

Continue lendo