Diferença salarial entre homens e mulheres persiste no país, aponta OIT – Valor Econômico

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) estima que importantes diferenças de salários persistem no Brasil. Na média, as mulheres ganham 22,1% a menos que os homens no país. Em certas categorias de profissões intelectuais e científicas, a diferença no pagamento pode chegar a 40% a favor dos homens.

No relatório “As Mulheres no Trabalho: Tendências 2016”, publicado na véspera do Dia Internacional da Mulher, a OIT mostra que a desigualdade salarial entre homens e mulheres no Brasil é comparável à África do Sul, mas bem superior ao que se observa em países como México, Panamá, Guatemala, Venezuela, Colômbia, Costa Rica e Tailândia.

Continue lendo