Petrobras: do orgulho à vergonha

Ontem, ao abrir os jornais, dei de cara com uma notícia que temia, porém esperava: a Petrobras vai cortar 30% dos investimentos em 2016, chegando ao menor valor desde 2008. A notícia é preocupante sobretudo porque mostra na prática o quanto a má administração da instituição faz mal às finanças do país.

Para piorar, o corte de investimento será feito em todos os setores, inclusive no de Exploração e Produção, o coração da estatal. A queda é impressionante. Serão investidos U$ 19 bilhões na empresa em 2016, contra U$ 25 bilhões neste ano, além do número já ter diminuído em 2014. Os investimentos só caem ano a ano, quando o caminho natural deveria ser o contrário. Onde a Petrobras vai parar?

Algo inegável é que a empresa tem uma ótima equipe de publicidade e marketing pois, mesmo sofrendo com a incompetência dos sucessivos governos do PT, desde Luiz Inácio Lula da Silva até a presidente Dilma Rousseff, mantinha-se com a imagem de prosperidade e bom gerenciamento. A podridão só começou a vir à tona quando estourou o escândalo do Petrolão. Agora, como consequência não só do escândalo, mas das sucessivas péssimas administrações, estamos assistindo a um dos momentos mais delicados da estatal criada em 1953 para ser um dos maiores orgulhos do país.

Outro motivo para a diminuição dos investimentos é a alta do dólar. A incompetência da equipe de Dilma sufoca todas as áreas da sociedade de forma conjunta, como numa rede. Se até a Petrobras precisa frear os gastos dessa maneira, imagina o trabalhador comum, apertando de tudo o que é lado para que o seu salário caiba no orçamento doméstico. Para desespero do brasileiro, o PT está transformando o ex-orgulho nacional em vergonha.