No País dos Impostos, quem paga a conta é o trabalhador

Quem não se lembra de ouvir de manhãzinha na rádio Jovem Pan o bordão “Brasil, o país dos impostos”? Nosso país é um dos que mais arrecada no mundo, sem que esses recursos se convertam, necessariamente, em qualidade de vida para a população. E como qualidade de vida quero dizer serviços básicos, como educação, saúde, transporte.

Segundo o IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação), o brasileiro precisa trabalhar, em média, 5 meses por ano só para pagar impostos. E no ano passado, os tributos comprometeram quase metade da renda do trabalhador.

Uma das principais causas desses impostos serem tão caros é a péssima aplicação nos gastos públicos. Depois da estabilização do Real, o governo diminuiu a oferta da moeda, mas para financiar os gastos, aumentou a carga tributária. Aí pagamos impostos desde o que vestimos até o que comemos. Pagamos tributação sobre a renda, sobre o patrimônio (como IPTU e IPVA) e, finalmente, mas não menos importante, pagamos tributação sobre consumo, que são os impostos mais sentidos pelo trabalhador, pois estão embutidos em produtos e serviços.

Era uma questão de tempo até a “lei de oferta x procura” gerar inflação em um governo cuja única alternativa para a crise foi o estímulo ao consumo, por meio de crédito facilitado. Nós concordamos que é importante reforçar o mercado interno, mas acreditamos que, para fazer isso, é necessário estimular o desenvolvimento da economia, para crescer a produção ao mesmo tempo que cresce a demanda.

Por tudo isso é que, ao lado do presidenciável Aécio Neves, defendo uma mudança na nossa política econômica, com destaque para a diminuição dos impostos, a redução dos juros e o remodelo das empresas estatais. A Petrobras, por exemplo, que é uma ferramenta fundamental para desenvolver a economia, não deve ser usada para manobra política ou para conter a inflação.

Por tudo isso é que defendo a revisão da tabela do Imposto de Renda e a isenção do IR sobre a Plano de Participação nos Lucros e Resultados e a diminuição de tantos outros tributos que afetam diretamente o bolso do cidadão. Não faz sentido que quem mais trabalha e menos ganha no País continue pagando essa conta. É preciso mudar, Brasil.