Nota oficial: governo continua bajulando os especuladores

Infelizmente, o Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) continua se curvando aos especuladores.  A decisão é nefasta para os trabalhadores, revelando que o novo governo perdeu uma ótima oportunidade de sinalizar, para o setor produtivo, que gera emprego e renda, que o País não bajula mais o rentismo. Juro estratosférico é uma forma de concentrar cada vez mais renda nas mãos de banqueiros e especuladores.

O novo governo precisa entender que a taxa de juros em patamares estratosféricos tem sido uma ferramenta ineficaz no combate à inflação, além de encarecer o crédito para consumo e para investimentos, causar mais desemprego, queda de renda e piora no cenário de recessão da economia.

É importante destacar que essa política de juros estratosféricos derruba a atividade econômica e diminui a capacidade de consumo das famílias. E, ainda, reduz a confiança e os investimentos, o que compromete ainda mais a capacidade de crescimento econômico futuro.

Infelizmente, até agora o aperto monetário, sobretudo as medidas de austeridade, tiveram um efeito brutal sobre a retração da atividade econômica, o desemprego e a queda da renda, reforçando o quadro recessivo. Diante deste quadro, a queda da taxa de juros Selic é urgente para dar fôlego a uma economia que agoniza.

Defendemos a imediata redução da taxa de juros e a implementação de políticas que priorizem a retomada do investimento, o crescimento da economia, a geração de empregos, a redução da desigualdade social, o combate à pobreza e a distribuição de renda.