Mais uma vez batendo na tecla dos juros altos

Mais uma vez retomamos o tema dos juros altos. Mas por que insistimos em bater com frequência na mesma velha e conhecida tecla? Simples, porque são eles um dos grandes vilões responsáveis pela crise econômica que assola o País, causando a insolvência de empresas, baixa produção, inibindo o consumo e fomentando o desemprego.

Todos os brasileiros, principalmente os de menor renda, sentem na carne os efeitos negativos trazidos com a manutenção da taxa básica de juros (Selic) em dois dígitos. Uns mais, outros menos, mas ninguém sai ileso.

Tudo bem que o Copom (Comitê de Política Monetária), do Banco Central, vem, em suas últimas reuniões, reduzindo os juros em doses homeopáticas. Só que ainda é insuficiente, e de nada adianta acertar o medicamento mas errar na dosagem. O que o Brasil e os brasileiros precisam, e desejam ansiosamente, é de uma redução drástica nos juros, que breque a recessão e impulsione a economia para que retome seu caminho de desenvolvimento e crescimento econômico.

O governo tem de parar de privilegiar uns poucos e afortunados agraciados e olhar, com olhos mais atenciosos, para os anseios de todo um povo, que sofre todo tipo de percalços e injustiças mas não desiste nunca, seguindo sempre em frente na busca incessante por melhores dias, por respeito, dignidade e justiça social.