Dia 28: um NÃO às propostas do governo!

O próximo dia 28 tem tudo para tornar-se uma data histórica no cenário de lutas do movimento sindical brasileiro. Nesse dia as centrais sindicais estarão realizando manifestações, paralisações e greves por todo o País, no chamado “Dia Nacional de Paralisações, Atos e Greves”, em protesto contra as propostas de reformas da Previdência e a trabalhista, e ainda contra a terceirização, elaboradas pelo governo.

É importante que as manifestações sejam, além de pacíficas e democráticas, testemunhas da união e da capacidade de mobilização que tem o conjunto dos trabalhadores na defesa dos seus direitos, e de todo o descontentamento que as propostas absurdas do governo causaram a quem tanto fez, e continua fazendo, para o engrandecimento da Nação.

Atravessamos um período conturbado de crise econômica, juros altos, crédito caro, produção em baixa, consumo inibido, queda dos investimentos no setor produtivo e uma taxa de desemprego que já ultrapassou a casa dos treze milhões de brasileiros diretamente afetados. Não bastasse esse quadro extremamente negativo, ainda ter a pretensão de sanar os cofres públicos à custa da retirada de direitos justamente dos que mais precisam? Absurdo dos absurdos!

Os atos, como já dissemos, acontecerão por todo o território nacional, e é fundamental que todos os trabalhadores, dirigentes, sindicatos, federações, confederações, centrais sindicais e demais setores da sociedade encampem esta luta, que é de todos os brasileiros. Se aprovadas as reformas e a terceirização em seus textos originais, não seremos apenas nós que vamos sofrer seus efeitos danosos, mas todas as gerações que estão por vir.

No dia 28 de abril, vamos às ruas contra as propostas de reformas da Previdência e a trabalhista, e contra a terceirização, com as quais o governo quer minar a resistência dos trabalhadores e de seus representantes. Não aceitaremos, em hipótese alguma, retrocesso no que se refere aos nossos direitos trabalhistas, sociais e previdenciários.
No dia 28 de abril, um NÃO estrondoso às propostas do governo!