Até quando?

Como previsto, o novo pacote de maldades do governo Dilma Rousseff conseguiu desagradar quase todo mundo. Quase… Só um setor anunciou apoio. Qual foi? O sistema bancário. Por que será? Porque “nunca antes na história deste país” os bancos obtiveram lucros tão exorbitantes. Enquanto a indústria recuou mais de 6% no primeiro semestre deste ano e o comércio registrou a maior queda nas vendas desde 2003, o lucro dos bancos bateu recordes.

Somados, os ganhos dos quatro maiores bancos cresceram mais de 40% no primeiro semestre, na comparação com os primeiros seis meses de 2014. Itaú, Bradesco, Banco do Brasil e Santander amealharam mais de R$ 35 bilhões só nos seis primeiros meses deste ano. Com juros escorchantes (só no rotativo do cartão de crédito a média está em 378% ao ano) não é de se estranhar que esse roubo aconteça.

No pacote apresentado na segunda-feira (14), os ministros Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento) anunciaram que os servidores públicos e os contribuintes terão de pagar pelo tal “ajuste fiscal” para consertar as contas do governo Dilma Rousseff. Os ministros propuseram o adiamento de qualquer reajuste de salário dos servidores, que só voltariam a ser dados a partir de meados de 2016. Só que os funcionários da Previdência e das universidades federais já estão em greve há alguns meses reivindicando justamente reajuste de salários. Enquanto isso, longas filas se formam nos hospitais universitários e nos postos do INSS por pessoas de muletas e em macas.

Os ministros de Dilma também anunciaram que querem achacar ainda mais os contribuintes. Disseram que será enviada ao Congresso uma proposta de recriação da CPMF, com uma alíquota de 0,2%. Disseram que os recursos desse tributo servirão para cobrir os gastos da Previdência. Só que ninguém aguenta pagar mais imposto. E essas medidas não vão passar no Congresso! Até quando os brasileiros vão aguentar um governo tão incompetente?