A Previdência na pauta do dia

Representantes das Centrais Força Sindical, UGT, NCST e CSB estarão reunidos, nesta 3ª feira, 28, com o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, para discutir a reforma da Previdência Social e as propostas apresentadas pelas Centrais com o objetivo de sanar as finanças do Instituto. A reabertura de um canal para o debate de ideias, de forma democrática, com as Centrais, representa um indicativo de que o governo sinaliza para uma mudança previdenciária com uma participação efetiva da classe trabalhadora. O governo, inclusive, já acatou algumas das nossas propostas para melhorar a arrecadação da Previdência.Na reunião, além da defesa das nossas propostas, as centrais vão frisar que, definitivamente, não aceitarão, em hipótese alguma, mudanças que retirem nossos direitos adquiridos. Vale lembrar as árduas lutas, travadas pelo movimento sindical e pelo conjunto dos trabalhadores, ao longo dos anos, para que conquistássemos tudo aquilo que a legislação atual hoje nos confere.

Entre outras, as propostas que apresentamos ao governo são a criação do novo Refis (Programa de Recuperação Fiscal), para a cobrança dos R$ 236 bilhões de dívidas ativas recuperáveis com a Previdência; a revisão das isenções previdenciárias para entidades filantrópicas; tributar as empresas exportadoras do agronegócio;  a venda de imóveis ociosos do INSS e a regulamentação do jogo, conforme projeto que está no Congresso, e que vai gerar receitas.

Em suma, as mudanças que o governo pretende implementar na questão da Previdência têm de levar em conta que a Instituição é um patrimônio do trabalhador brasileiro, e, desta forma, qualquer alteração deve privilegiá-lo, oferecendo-lhe condições para uma vida com respeito e dignidade.

Com uma Previdência saudável e cumpridora de seu papel social, todos saem ganhando. E a economia brasileira, com uma distribuição de renda mais equilibrada e justa, vai retornar a um patamar elevado de desenvolvimento, hoje tão afetado pela recessão, com mais empregos, aumento da produção e do consumo.