Pressão total!

É chegada a hora. Ainda não há uma data definida, mas falta pouco para a votação do texto da reforma da Previdência. Um dos assuntos mais polêmicos e para mim, mais absurdos dos últimos anos. Uma votação que pode acabar com as chances de boa parcela da população em se aposentar.

Entendo que há um rombo, apesar de não concordar que a Previdência é deficitária. Mas esse rombo existe por desvios do dinheiro para outros fins, por má gestão e por outros tantos motivos. Se os problemas criaram raízes advindas do Governo, pergunto: Por que a população tem que pagar?

A reforma nos moldes propostos vai acabar com todos os direitos dos trabalhadores. A medida deve sanar praticamente com os auxílios-doença, duramente reavaliados, assim como o salário-maternidade. Em ambos os casos, o trabalhador deverá ter comprovado 12 meses de contribuição.

O que querem fazer com as mulheres então, uma verdadeira vergonha. Igualar a idade mínima é desprezar anos de trabalho triplicado. São elas que geram a vida e na maioria dos casos, cuidam a grande parte do tempo da criança. Trabalham fora, estudam, se especializam. A casa também é sua responsabilidade muitas vezes. Não vamos aqui debater cultura do machismo, de quem é a responsabilidade por cuidar dos filhos e da casa. Sabemos que ainda hoje é isso que acontece.

Aceitamos a reforma da Previdência desde que nossas sugestões sejam bem analisadas. A idade mínima de 60 anos para homens e de 58 para mulheres, com regras de transição para quem já está no mercado de trabalho. Acabar com a isenção para entidades filantrópicas. A agricultura também precisa ter normas de contribuição. Os prédios abandonados do INSS precisam ser vendidos para gerar “caixa” na Previdência.

Se o Governo não quer enxergar essa parcela da população que tanto precisa, vamos pressionar! Vamos às ruas reivindicar. Debater as alternativas. Vamos espalhar nas mídias digitais nossa insatisfação. Sempre que possível utilizar a mídia para expor nossas necessidades e sugestões. Não vamos aceitar ser fantoches regidos pelas vontades do Governo. A hora é agora! Pressão Total!