MP 665: Morde e Assopra

Para garantir suas vitórias no Congresso e não ficar de fora, o Partido dos Trabalhadores (PT) recorre a algumas artimanhas nada desconhecidas do público. Um exemplo bem claro, e só não vê quem quiser ser enganado, foi a votação da MP 665, que endurece as regras para a concessão do seguro-desemprego e abono salarial.

Com a desculpa de aprovação ao fajuto ajuste fiscal, o PT coloca na mesa os direitos dos trabalhadores. Desta vez, porém, acuado com a voz do povo nas ruas, o partido tentou fugir da responsabilidade pelo extermínio do seguro desemprego e abono salarial, jogando para o PMDB a missão de assumir a responsabilidade.

Como tudo tem preço, o governo enquadrou o PT e recorreu à negociação de cargos com os aliados que poderão resultar até mesmo em trocas ministeriais. O Palácio do Planalto obteve êxito com a estratégia e aprovou, na noite de quarta-feira (6), o texto base da Medida Provisória (MP) 665, que dificulta e quase impossibilita a concessão de seguro-desemprego e abono salarial.

O PT se viu pressionado pelo Planalto e pelo PMDB, que ameaçou não aprovar a medida se o principal partido do governo não se comprometesse com o apoio. Para convencer os deputados da base, emissários do Planalto avisaram que uma nova configuração do governo — incluindo o primeiro escalão — dependeria da atuação de cada partido na votação.

É uma forma clara, suja, desrespeitosa e fingida de enganar a sociedade. Infelizmente, a maioria desses trabalhadores defendeu essa quadrilha nas urnas. Que esse dominó de traições, pós outubro de 2014, sirva de lição e de comprovação aos defensores dessa falsa ideologia que é o PT.