A PEC do Extermínio

Major Olímpio

A PEC- Proposta de Emenda Constitucional 287 -, é a PEC do extermínio do Trabalhador e do Servidor Público.
É sabido, e é fato, que há décadas ladrões, criminosos da pior espécie, travestidos de “governo”, desviaram e se apropriaram dos recursos da Previdência, em benefício próprio e agora o Governo espera que os Servidores paguem essa conta.

Até o tal “rombo” é uma enorme mentira. Essa mentira já foi desmascarada pela ANFIP- Associação Nacional dos Fiscais da Receita Federal, que demonstraram que a Previdência é superavitária, e que grande parte do rombo se deve a renúncias fiscais, ou seja, isenção de impostos ou contribuições dadas pelo governo a empresas, fazendo com que os recursos previstos em lei para dar suporte aos gastos da Previdência, saúde e assistência social, não sejam arrecadados.

Sou absolutamente contrário à retirada de direitos da classe trabalhadora, bem como de pensionistas e aposentados.
Está errado querer estabelecer uma idade mínima para a aposentadoria que trata da mesma forma aqueles que começaram a trabalhar ainda muito jovens (e deram duro, como acontece na maior parte das famílias brasileiras) com aqueles que começaram a trabalhar bem mais tarde, isso é muito injusto.

Essa “reforma” é uma farsa! Essa PEC visa uma reforma na previdência, que aumenta a idade de aposentadoria para 65 anos, e de contribuição para 25 anos, aposentadoria essa que não garante o recebimento integral da remuneração. Pelo projeto, para o trabalhador ter o direito a receber sua remuneração integral, deverá trabalhar 49 anos, estando, de toda forma, limitado a receber, em qualquer hipótese, como provento de sua aposentadoria, o teto do INSS.

Denunciei e confrontei essa aberração, inclusive o fato, do Secretário da Previdência, que foi quem redigiu essa PEC, ocupar cargo no Conselho da Administração da BrasilPrev, Previdência Privada, recebendo remuneração por tal cargo, e utilizando o cargo público que ocupa para favorecer interesses privados.
Isso é uma vergonha!

Conteúdos relacionados

desempregodesemprego
Juros altos e crise econômica
Lucas Vergilio
Ajuste fiscal em prejuízo do trabalhador
02-07-15-manato02-07-15-manato
Agricultores já podem renegociar débitos com instituições financeiras