Transexual, candidata do Solidariedade a vereadora defende direitos LGBT em Salvador-BA

A arquiteta e transexual, Dion Santyago (77.124) luta há mais de 30 anos por políticas públicas para o público LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros). Inconformada com os preconceitos, a intolerância e a desigualdade, filiou-se ao Solidariedade para fazer a diferença. Candidata a vereadora em Salvador, Bahia, Dion tem como uma de suas principais bandeiras a inserção no currículo escolar da questão de Gênero e Diversidade, a fim de que os estudantes aprendam a respeitar as diferenças. A candidata também defende a formação profissional e o encaminhamento efetivo ao mercado de trabalho, de travestis e transexuais. “Isso é só uma parte de nossa plataforma, pois as demandas são enormes em todos os setores”.

Solidariedade: Porque você decidiu se candidatar a vereadora em Salvador?

Dion Santyago: Bom, fui impulsionada por amigos e militantes que, assim como eu, ainda lutam para que os nossos direitos sejam efetivados. Infelizmente, as questões sociais que circundam a nossa comunidade nos colocam como “coisas” dentro do contexto social em que vivemos. Assim, é de extrema necessidade que um LGBT esteja inserido no legislativo municipal pois, desta forma, poderemos dar início a uma nova história, comprovando que a capacidade de uma pessoa não se define por sua orientação sexual e sim por sua inteligência transformada em atitudes.

Solidariedade: Como você vê a questão LGBT no Brasil?

Dion Santyago: As políticas públicas voltadas para o LGBT ainda são tímidas em ações que realmente elevem a dignidade dessa comunidade, ainda massacrada pela intolerância e principalmente pelo não cumprimento dessas políticas, que geralmente não passam de papéis para encher gavetas.

Solidariedade: Nosso partido está preparado para ser a voz do grupo LGBT no Brasil?

Dion Santyago: O partido Solidariedade, do qual sinto muito orgulho em fazer parte, por ser novo, ainda esta se enriquecendo de informações para que possa colocar em pratica suas diretrizes sociais que buscam elevar e defender a dignidade de qualquer cidadão que esteja em situação de vulnerabilidade. Dessa forma, confirmo que estamos no caminho certo e creio que essa instituição partidária será a diferença nas ações que envolvam a luta pelas causas sociais e, dentre essas lutas, têm prioridade as demandas LGBTs, prova disso é que me acolheram com muito respeito e hoje sou a representante LGBT do partido no Estado da Bahia!

Solidariedade: Somos uma legenda com muitos evangélicos. Como você lida com esse público?

Dion Santyago: Eu lido com aquilo que busco para a minha comunidade LGBT, respeito! Jamais irei tratar quem quer seja de outra forma. Se tivéssemos essa simples palavra como fonte de inspiração para a nossa convivência na sociedade, com certeza teríamos muito mais avanços em todos os setores.

Solidariedade: Como trabalhar a questão LGBT dentro do partido?

Dion Santyago: Trabalhar a questão LGBT dentro do partido Solidariedade é inserir em um novo contexto partidário uma visão ampla de sociabilidade onde a igualdade, o respeito e principalmente a dignidade da pessoa humana sejam colocadas em pauta e suas ações sociais sejam verdadeiramente eficazes!

Solidariedade: Ainda há muito preconceito com travestis, transexuais e transgêneros no Brasil?

Dion Santyago: O preconceito com a população LGBT ainda é muito ativo, mas dentro desse grupo a situação de vulnerabilidade com certeza recai ainda mais sobre as travestis, transexuais e transgêneros. É claro que encontramos avanços em alguns Estados que buscam amenizar e/ou até mesmo extinguir esse tipo de prática mas, ainda falta muito a ser feito, é preciso dar dignidade, é preciso enxergar a todos sem rótulos. Em Salvador, Bahia, cidade na qual resido, ainda existe muito a ser feito para que as travestis e transexuais sejam vistas na sociedade como cidadãs e não como coisas!

Solidariedade: Quais as suas propostas para o público LGBT? Como é possível um vereador trabalhar essas questões no nível municipal?

Dion Santyago: A minha prioridade é a dignidade da pessoa humana e a minha bandeira de luta é a LGBT. Tenho projetos voltados para a terceira idade e vamos lutar para que essa camada da sociedade tenha um atendimento diferenciado nos centros de saúde, com uma ala exclusiva para idosos no Hospital Municipal de Salvador, que será em breve inaugurado. Vamos lutar pela discussão nos centros educacionais sobre a questão do Gênero e Diversidade, o que seria uma das ferramentas para inserir no jovem uma consciência real do respeito e tolerância pelas diferenças. Vamos lutar para dar aos travestis e transexuais uma formação profissional e um encaminhamento efetivo ao mercado de trabalho, bem como uma firmação do nome social em estabelecimentos públicos e privados. Aí é só uma pequena parte de nossa plataforma, pois as demandas são enormes em todos os setores.

Solidariedade: Faltam políticas públicas para o cidadão LGBT? Quais você considera essenciais?

Dion Santyago: Existem políticas públicas voltas para o LGBT, o que precisa é sair da gaveta! É preciso ter consciência e respeito para aquilo que se propõe. Não entendo como evidenciam-se vários assassinatos a LGBTs tão somente por essa vergonha social chamada intolerância e ainda não se efetivou a homofobia como crime. Só um exemplo! Todas as demandas são essenciais, não existe essa ou aquela com mais ou menos importância, pois quando se fala de vida devemos tratá-la em todos os aspectos, com total prioridade.

Solidariedade: Como você analisa a sua campanha em relação à recepção dos eleitores?

Dion Santyago: Como disse no início, fui impulsionada a estar dentro da política disputando uma vaga no legislativo municipal, tenho uma visão sóbria sobre a campanha e meus possíveis eleitores, pois nesses meus trinta anos de caminhada e luta, consegui verdadeiramente atingir as pessoas com respeito e acima de tudo verdade em tudo que fiz. Dessa forma, o que existe hoje é uma relação de confiança e respeito.

Solidariedade: Você é muito conhecida na Bahia por causa da Parada Gay e de eventos que realiza em Salvador. Isso ajuda na hora da campanha?

Dion Santyago: Participo da Parada do Orgulho LGBT em Salvador desde a sua primeira edição, e, há 14 anos, saio com meu trio levando palavras de conscientização, enfatizando que o amor e o respeito combinam com igualdade. Mas, estou nesta estrada há mais de trinta anos com minha militância independente, conseguindo atingir e modificar de forma positiva a vida de muitos LGBTs que enxergam em mim uma esperança. Assim, imagino que essas ações possam refletir de forma positiva na nossa campanha ao legislativo municipal, que não será um mandato de Dion Santyago, mas sim de toda a população LGBT soteropolitana que anseia por uma nova história, onde a dignidade do LGBT seja uma prioridade e não uma opção!

 

Por: Luiza Torres