Solidariedade em ato pela defesa do petróleo brasileiro e da Petrobras

Um grande ato comemorativo aos 60 anos da Petrobras e pela suspensão do leilão do Campo de Libra – o primeiro do pré-sal e o maior do mundo na história da extração de petróleo –, aconteceu na noite de 5ª feira (10/10) na Câmara Municipal de São Paulo. 

O evento em defesa do petróleo brasileiro e da Petrobras, e que contou com a participação de representantes do Solidariedade, da Força Sindical e demais centrais sindicais, de sindicatos, federações, movimentos sociais, juventude, mulheres e da sociedade paulistana, foi uma iniciativa da vereadora Juliana Cardoso. Compuseram a mesa, entre outros, David Martins de Carvalho, presidente do Solidariedade-SP e Cristina Maria Santos, diretora do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, além do vereador José Américo, presidente da Casa.

Assinada em 3 de outubro de 1953 por Getúlio Vargas, a Lei nº 2.004 criou a Petrobras, com o slogan “O Petróleo é Nosso”. Legalmente, de acordo com a Lei 12.351, de dezembro/10, em seu Artigo 12, a União pode entregar o Campo de Libra, sem licitação, diretamente à Petrobras que, por sua vez, assinaria um Contrato de Partilha com a União, garantindo, ao povo brasileiro, em seu tempo devido, o benefício total dessa riqueza.

Com o leilão, e a participação de grandes empresas estrangeiras, quem vencer o leilão deverá pagar 50% do saldo para a União, e os outros 50% deverão seguir para seus países de origem, sem o ônus de impostos ou royalties.

Todos os representantes da mesa foram unânimes em defender a suspensão do leilão: “O povo tem de pressionar o governo, ir às ruas, por todo o País, em defesa do petróleo brasileiro e da Petrobras. Não podemos entregar nossa soberania a empresas de fora. Todos, centrais sindicais, partidos, movimentos sociais, vereadores, políticos, trabalhadores, estudantes e a sociedade em geral, temos de lutar pela isonomia do País e pelo bem-estar do nosso povo, proteger a soberania brasileira e cobrar a promessa da presidenta Dilma, quando em campanha, de não privatizar o petróleo brasileiro”. Leilão é privatização!

Nunca o slogan que marcou a criação da Petrobras, “O Petróleo é Nosso”, esteve tão ameaçado de sucumbir ante o descaso de nossas autoridades constituídas. E isto não podemos, sob hipótese alguma, permitir!