Solidariedade desenvolve diretrizes para organizar movimentos sociais até o final do ano

No segundo semestre de 2016, o Solidariedade, por meio da sua Secretaria Geral e a da Fundação 1º de Maio, vai organizar Grupos de Trabalho (GTs) para debater e desenvolver diretrizes temáticas e de organização para as secretarias de movimentos sociais do partido: da Mulher; do Jovem; Acessibilidade; Aposentados, Pensionistas e Idosos; Movimento Sindical; Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Agricultura Familiar e Negros, Índios e Movimentos Sociais.

Os GTs serão formados pelos próprios secretários nacionais das pastas e por ativistas que se identifiquem ou tenham conhecimentos das causas, selecionados pelas secretarias e também durante os cursos realizados desde 2015 pela Fundação 1º de Maio – entidade ligada ao Solidariedade, que tem o objetivo de formação política de militantes e lideranças. Além deles, representantes indicados pelas executivas estaduais foram recrutados.

A proposta veio do entendimento da Secretaria Geral do partido – responsável pela organização estrutural do partido -, de que o Solidariedade, por ser uma nova legenda, trabalhou com a urgência de ter uma formação, eleger candidatos e agir no processo do impeachment, mas que é chegado o momento de reforçar a organização. “O caráter das secretarias é muito especial e, exatamente por isso, é necessário que elas entrem em funcionamento. Nesses quase três anos de Solidariedade, nós não conseguimos proporcionar ferramentas para que elas trabalhassem de acordo com o nosso objetivo”, explicou o secretário-geral nacional, João Inocentini.

A Fundação 1º de Maio terá o papel de organizar os debates temáticos e aprovar as decisões com a Executiva Nacional. “Nós organizamos os GTs, que serão realizados em São Paulo a partir da próxima segunda-feira (8/8)”, relatou a presidente da Fundação, Samanta Costa, que acrescentou: “Após os Grupos de Trabalho de todos os temas, teremos reuniões em outubro, em datas distintas, com as secretarias estaduais, para passar o que foi definido como prioridade de trabalho e formas de organização”.

“Os GTs vêm com o intuito de captar as necessidades, levar isso para conhecimento dos secretários, já com plano de ação e construção de ‘braços’ auxiliares pelo país todo, para que tenham por onde começar a trabalhar”, explicou mais detalhadamente João Inocentini.

A proposta inicial de organização – que também será debatida nos GTs – parte de um organograma em que o secretário nacional de cada área poderá contar com a colaboração de cinco coordenadores regionais – no Sul, Sudeste, Norte, Nordeste e Centro-Oeste – que, por sua vez, serão auxiliados por coordenadores temáticos, sendo que a divisão temática também se repetiria no nível estadual. A função principal dessa organização é levar e trazer informações necessárias para criação, planejamento e execução de propostas e projetos do partido.

A definição das divisões temáticas em cada secretaria também será feita nos GTs: “Por exemplo: se o GT identificar que, dentro da Secretaria da Mulher, a violência precisa de grande atenção, essa pode ser uma divisão temática, pois muitas propostas precisam ser direcionadas a isso”, complementou Samanta.

Os Grupos de Trabalho ainda terão mais dois encontros no próximo ano. “O objetivo é que em setembro de 2017 consigamos levar as prioridades para nossos representantes no 1º Congresso do Solidariedade”, explicou a presidente da Fundação 1º de Maio.

“Você nunca pode deixar de estar ‘pari passu’ com os movimentos sociais e deixar de captar essas demandas”, reforçou o secretário-geral, que acrescentou: “O governo presidido pelo PT deixou que esses movimentos entrassem pelo lado errado do poder. Por isso, as ações dos movimentos sociais diminuíram. Porque se fossem brigar, seria uma guerra de braços entre irmãos, pois eles colocaram o PT no poder. Com uma nova perspectiva de gestão, agora com Temer, o Solidariedade vai buscar essas pessoas dos movimentos sociais para mostrar que ainda há sim, dentro de um partido político, voz para eles”.

A Fundação 1º de Maio organizará ainda em dezembro o Núcleo Nacional de Estratégia e Articulação, um encontro que reúne lideranças de todos os estados do Brasil para uma imersão de uma semana nas principais questões de organização e ideologia do partido. “Essa será a segunda vez que faremos essa imersão de lideranças. O local ainda não foi definido, mas a ideia é alinharmos discursos, debatermos diretrizes e aproximarmos as diferentes personalidades que militam em nosso partido”, completou Samanta.

Por Talita Benegra

Datas Propostas – 2º semestre 2016

Agosto:

8 e 9 – Grupo de Trabalho – Secretaria da Acessibilidade

11 e 12 – Grupo de Trabalho – Secretaria do Jovem

15 e 16 – Grupo de Trabalho – Secretaria do Negro, Índio e Movimentos Sociais

18 e 19 – Grupo de Trabalho – Secretaria da Mulher

29 e 30 – Grupo de Trabalho – Secretaria do Movimento Sindical

Setembro:

1 e 2 – Grupo de Trabalho – Secretaria dos Aposentados, Pensionistas e Idosos

5 e 6 – Grupo de Trabalho – Secretaria do Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Agricultura Familiar

Outubro:

13 – Reunião da Secretaria do Movimento Sindical

14 – Reunião da Secretaria dos Aposentados, Pensionistas e Idosos

17 – Reunião da Secretaria do Jovem

20 – Reunião da Secretaria da Mulher

27 e 28 – Reunião da Secretaria do Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Agricultura Familiar

Dezembro:

13 – Núcleo Nacional de Estratégia e Articulação