Solidariedade critica a nomeação de Lula para ministro da Casa Civil

Causa-nos estranheza a nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para ministro da Casa Civil do atual governo. Perante a sociedade, o que parece é que o Palácio do Planalto está se transformando em uma fortaleza para abrigar pessoas que se encontram na condição de investigadas pela Justiça.

No nosso entendimento a presidente Dilma, com esta atitude desesperada, almeja blindar o seu antecessor na Presidência da mira da Polícia e do juiz da esfera federal Sergio Moro, responsável pelo comando dos julgamentos dos crimes identificados na Operação Lava Jato, fazendo com que as investigações em pauta voltem a ser realizadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), onde Lula, na qualidade de ministro, passa a ter foro privilegiado, mesmo que represente o esvaziamento de sua força presidencial, tornando-a uma governante meramente figurativa, um arremedo presidencial.

Estranho que, durante seu 1º governo, a presidente Dilma tenha passado a imagem de uma “faxineira” do bem, que iria realizar uma verdadeira “limpeza” contra qualquer tipo de corrupção e malfeitos e, no 2º mandato, tenha, enfim, erguido o tapete, demonstrando não se importar com a sujeira. A verdade é que estamos vivenciando um período conturbado e obscuro de nossa História, com a inversão de valores e desmandos de todos os tipos.

O governo, que tem a prerrogativa de apoiar e encabeçar qualquer ação contra a bagunça política que está atirando nosso País numa crise econômica e de credibilidade profunda , está, na verdade, promovendo o caos político ao tentar segurar o poder à custa desta nomeação rocambolesca.

Vale ressaltar que o ex-presidente Lula, ao tentar se preservar dos avanços das investigações da Justiça, está deixando sua família, esposa e filhos principalmente, que também vem sendo investigados, ao léu e ao bel-prazer da opinião pública, que, diga-se, não lhe é nada favorável.

O governo mais uma vez ri e debocha de forma escancarada da Justiça e da sociedade.