Renúncia de Eduardo Cunha à presidência da Câmara

Em consenso com a base aliada, o deputado federal Eduardo Cunha anunciou nesta quinta-feira (7), a decisão de renunciar ao cargo de presidência da Câmara. O entendimento é de que a Legislativo precisa voltar a aprovar leis e que somente com a renúncia, o Brasil terá um novo tempo após o afastamento da presidente da República.

Após um longo e desgastante processo de recessão econômica, fruto da incompetência administrativa e da total falta de diálogo do antigo governo com o Congresso, o Solidariedade iniciou o processo do impeachment, pois o partido acredita que essa era a única maneira do país ter uma nova perspectiva de crescimento econômico.

Uma vez aprovado o impeachment, restou na Câmara uma instabilidade que vinha impedindo os deputados de avançarem em propostas urgentes para o país. A renúncia era necessária para superar esse momento.