Nota do Solidariedade – Novos rumos para o país

Com o objetivo de reconstruir o país, o Solidariedade por meio do seu presidente nacional e deputado federal, Paulinho da Força, tem comandado um dos mais importantes processos para reorganizar a credibilidade e a estabilidade nacional.

Contra todos os crimes administrativos cometidos pela presidente Dilma e o seu governo petista, ontem, dia 17 de abril, num domingo histórico, 367 parlamentares votaram a favor do prosseguimento do impeachment, que segue agora para o Senado. Não vai ser uma batalha fácil, pois é sabido por toda a sociedade que muito dinheiro tem sido oferecido para que permaneça esse governo da forma como está. Mas acreditamos na mobilização popular para fortalecer o processo do impeachment até a saída definitiva da presidente Dilma.

Segundo o discurso da presidente Dilma, ela foi injustiçada, pois afirma que todos os outros presidentes também praticaram os mesmos atos pelos quais ela responde. Não podemos esquecer que nenhum crime de responsabilidade deve ser comparado, mas combatido.

Contra a manifestação de que o impeachment parte de golpistas, está todo cidadão de bem, que trabalha, paga seus impostos e, ainda assim, não é representado pelo atual governo federal, que fez do desmando, da corrupção, da traição a todos os trabalhadores e do abuso do recurso público as suas principais marcas.

Que cada eleitor cobre de seu senador, da mesma forma como foi feito com seu deputado, de que lado ele está: o lado da população ou do seu próprio interesse. O Solidariedade liderou o processo de impeachment e vai lutar até que se restabeleça a ordem e que vença a democracia.

O PT em 2002 disse que a esperança tinha vencido o medo. Mentira! O que se viu de lá para cá foi a disseminação do ódio e da intolerância. Não somos brasileiros contra brasileiros, somos cidadãos contra a corrupção. A esperança vai vencer o medo e retomaremos o caminho da igualdade social e de um Brasil justo para todos.