Laércio defende que a Fafen seja aparelhada e vendida por um preço competitivo

 

Em reunião das bancadas de Sergipe e Bahia com o presidente da Petrobras, Pedro Parente, realizada na Câmara dos Deputados na terça-feira, 27, o deputado federal do Solidariedade/SE, Laércio Oliveira, afirmou que no mundo da administração pública existem raízes que muitas vezes são incompatíveis como a competitividade e produtividade. “A Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen) se insere nesse contexto perfeitamente. Segundo o que foi relatado aqui em 2016 e 2017, tanto a Fafen de Sergipe quanto a da Bahia apresentaram resultados negativos. Simplesmente anunciar que hiberna e aguardar o tempo. E depois dessa hibernação como é que faz?”, questionou o parlamentar.

“Quando se trata de gestão e se precisa sair de um projeto porque não é foco da empresa, não é mais interessante a gente aparelhar essa planta, torná-la atrativa ao mercado e vendê-la por um preço competitivo? Talvez essa seja uma das saídas que a Petrobras encontre para essa questão. No entorno dessas fábricas acontece algo muito interessante no sentido de geração de emprego e renda, que a Petrobras certamente conhece e que eu acho que cabe uma avaliação”, disse Laércio.

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, acatou o pedido do governo de Sergipe para adiar a hibernação da Fafen por 120 dias, a partir de 30 de junho para que sejam apresentadas as propostas para a sua manutenção. “A minha proposta é que a Fafen seja aparelhada e vendida por um preço competitivo. Fechar e vender como sucata não é a melhor solução, além do que é preciso rever o preço do gás natural, que custa muito caro, que é um dos problemas que mais incidem na fábrica”, disse.