Executiva do Solidariedade debate eleições 2016 e fortalecimento do partido

Em apenas 2 anos e 9 meses de existência, o Solidariedade conta com 166 mil filiados em todo país e comissões provisórias ou diretórios em 3.177 municípios. Os dados foram destaques durante reunião da executiva nacional do partido, realizada nesta quinta-feira (30), em Brasília, na sede nacional da legenda.

As eleições municipais também fizeram parte do encontro. O presidente nacional do Solidariedade e deputado federal, Paulinho da Força, explicou que o pleito desse ano terá recursos financeiros escassos, porém acredita que será mais justo porque vai “igualar as campanhas dos partidos pequenos com a dos grandes”. O deputado também ressaltou que todos os candidatos devem ficar atentos à Lei Eleitoral para não cometer nenhum erro que prejudique a campanha. “É preciso prestar atenção também nos adversários porque, caso seja necessário, devemos denunciar abusos”, afirmou.

O deputado Paulinho da Força reforça que por conta das dificuldades financeiras, os candidatos vão precisar ter muita criatividade para fazer suas campanhas e  vencer as eleições de 2016. Ele lembra que este ano os eleitores podem fazer doações para os partidos investirem nas campanhas. Neste caso, pessoas físicas poderão doar até 10% (dez por cento) dos rendimentos brutos auferidos no ano anterior ao da eleição.

Por ser um partido novo, este ano é a primeira vez que o Solidariedade concorre a uma eleição municipal. O partido tem 1.600 vereadores; 14.914 pré-candidatos a vereador em todo Brasil, tendo como expectativa eleger, pelo menos, 1.870. A legenda também conta com 479 pré-candidatos a prefeito – pretendendo eleger 204 ao cargo principal e 244 vices.

Para o coordenador político do Solidariedade, Luiz Antônio Adriano da Silva, é importante intensificar as propostas e a ideologia do partido com o objetivo de atrair novos filiados. Ele acredita que os “sonhos” são os principais motivos que atraem pessoas para um partido político. Por isso, é necessário intensificar e divulgar a ideologia do Solidariedade.

 

Fundação 1º de Maio

 

Além do fortalecimento do partido, os cursos da Fundação 1º Maio também foram avaliados e elogiados por todos que participaram. No total, foram qualificadas mais de cinco mil pessoas durante os cursos de Organização Partidária e Eleições 2016. O diretor técnico da Fundação, Diógenes Sandim, informou que a instituição está desenvolvendo um banco de dados com projetos para vereadores, que ficará disponível até o final do ano.

“Os cursos são importantes para que parlamentares e militantes possam se informar e se qualificar sobre vários assuntos relacionados à política e à ideologia partidária”, afirmou o deputado Paulinho da Força.  Durante os cursos, a Fundação identificou integrantes do Solidariedade em outros estados que podem contribuir nas secretarias com propostas e sugestões.

Estiveram presentes no encontro o presidente nacional da legenda, o deputado federal Paulinho da Força, e todos os presidentes estaduais, entre eles: o de São Paulo, David Martins; de Roraima, deputado estadual Jalser Renier; do Maranhão, Simplício Araújo; do Rio Grande do Norte, o deputado estadual e pré-candidato a prefeito de Natal, Kelps Lima e do Amapá, o deputado estadual Max Andrade. Além do deputado federal Áureo Lídio, também o vice-presidente do Solidariedade, Miguel Torres; o secretário-geral de São Paulo, Alexandre Pereira; o secretário dos Negros, Índios e Movimentos Sociais, Carlos Cavalcanti Lacerda; a secretária da Mulher, Eunice Cabral; o secretário dos Aposentados Pensionistas e Idosos, Carlos Ortiz; o secretário de Movimento Sindical, Geraldino dos Santos; dos Jovens, o deputado federal Lucas Vergílio; o secretário do Meio-Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Agricultura Familiar, o deputado federal Zé Silva; o secretário Nacional de Relações Internacionais, Neco e o tesoureiro nacional, Luciano Araújo.

Representando a Fundação 1º de Maio, a presidente da instituição, Samanta Costa; o diretor técnico, Diógenes Sandin; o coordenador de políticas públicas, Cláudio Prado; o membro do conselho curador da Fundação, Diogo Telles e o coordenador de comunicação, Guilherme Martinelli.