Direitos Humanos aprova requerimentos de Teixeira para ouvir Lula e Stédile

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara aprovou, nesta quarta-feira (18), os requerimentos apresentados pelo deputado Ezequiel Teixeira (Solidariedade-RJ) para a realização de audiência pública para ouvir o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stédile.

Os requerimentos foram apresentados por Ezequiel Teixeira com o objetivo de cobrar explicações sobre as declarações de Lula, dadas no final de fevereiro, sobre  um “exército” do MST.

Após longa discussão entre os membros do colegiado, os dois pedidos foram aprovados. Para Ezequiel Teixeira, é de extrema importância que Lula e Stédile esclareçam a afirmação e as atitudes do MST quanto às invasões de propriedades.

“Por onde ando, as pessoas me perguntam se vamos ter uma guerra civil. Ou se podem formar um exército, como esse grupo organizado e violento que sai às ruas com divisões e tarefas semelhantes ao exército regular. Isso é perigoso para a Nação. O ex-presidente Lula, sabendo do peso da sua palavra e da sua liderança tremenda, não pode dizer por aí que existe um exército à disposição”, argumentou.

Calouro

O deputado Pr. Marco Feliciano (PSC-SP) manifestou apoio à iniciativa do parlamentar do Solidariedade. “Quero aqui congratular o nobre deputado Ezequiel Teixeira, que, chegando para o seu primeiro mandato, como calouro, já dá uma lição de como vai ser o seu mandato daqui para frente, aguerrido, corajoso e com equilíbrio”, declarou.

Também o deputado Pastor Eurico (PSB-PE) manifestou seu apoio aos requerimentos antes da votação: “Deputado Ezequiel, se Vossa Excelência tiver coragem de permanecer com os requerimentos, e eu acredito que tenha, eu os subscrevo. Parabéns pela coragem.”

Agora, com os requerimentos aprovados, cabe à comissão convidar Lula e João Stédile para a audiência pública. “Eles não são obrigados a comparecer. Mas espero que tenham a coragem e a sensatez de dar os devidos esclarecimentos à comissão e a população brasileira,” finalizou Ezequiel Teixeira.