Paulinho quer convocar Bendine para explicar denúncias no Banco do Brasil

O presidente nacional do Solidariedade, deputado Paulo Pereira da Silva (SP), garantiu que o partido unirá forças para que os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobrás sejam satisfatórios e efetivos em relação às investigações. O deputado é titular da CPI e participou, nesta quinta-feira (26), da instalação da comissão na Câmara dos Deputados.

“A Petrobrás é a maior empresa brasileira e foi jogada na lama. Agora, a investigação cabe a essa comissão que está sendo instalada. Do ponto de vista do Solidariedade, temos que investigar não só o passado, mas também ter prevenção de que, no futuro, que os problemas não vão acontecer novamente. A partir da semana que vem, vamos convocar os investigados e tentar apurar, com muita firmeza, o que aconteceu com a Petrobrás”, afirmou Paulo Pereira da Silva.

Ele informou que vai apresentar requerimento para convocar o atual presidente da empresa, Aldemir Bendine, ex-presidente do Banco do Brasil. Segundo o presidente do Solidariedade, Bendine precisa explicar as irregularidades que ocorreram durante sua gestão no banco. “Não é possível que vamos entregar a Petrobrás, de novo, nas mãos de uma pessoa que já está com o seu passado comprometido”, disse.

O líder do Solidariedade, deputado Arthur Oliveira Maia (BA), também participou da instalação da CPI. Ele destacou que a comissão precisa trazer uma resposta de confiança ao povo brasileiro. “Esperamos que o trabalho que irá acontecer aqui possa, de fato, dar a resposta que os brasileiros esperam sobre tudo de ruim e de errado que aconteceu nesta grande empresa. Temos que dar ao Brasil pelo menos uma resposta aos desmandos que aconteceram na Petrobrás,” afirmou.

Além de Paulo Pereira da Silva e Arthur Oliveira Maia, também participaram da abertura da CPI o deputados do Solidariedade JHC (AL), suplente da comissão; Lucas Vergílio (GO) e Expedito Netto (RO).

Foram escolhidos presidente e o relator da comissão os deputados Hugo Motta (PMDB-PB) e Luiz Sérgio (PT-RJ), respectivamente. A partir da próxima segunda-feira (2), a CPI receberá requerimentos dos deputados, incluindo os pedidos de audiência pública e de convocação para interrogatórios. O prazo de funcionamento da CPI é de 120 dias, podendo ser prorrogado por mais 60.

 

Solidariedade na Camâra