Atleta que representou o Brasil em quatro olimpíadas é pré-candidata do Solidariedade ao senado de RN

Antes ignorada nas pesquisas, que nem incluíam seu nome nos questionários de rua, a pré-candidata do Solidariedade ao Senado pelo Rio Grande do Norte, Magnólia Figueiredo, começa a aparecer como a única alternativa contra duas das mais fortes oligarquias do Brasil, os Alves e os Mais.

Maria Magnólia Sousa Figueiredo tem 52 anos e virou personagem internacional após ter participado de quatro Olimpíadas (1988 em Seul, 1992 em Barcelona, 1996 em Atlanta e 2004 em Atenas) e permanecido invicta por 15 (quinze) anos consecutivos nas provas que competia.

Magnólia também foi a primeira mulher do Brasil a chefiar uma equipe de atletismo dos Jogos Pan-Americanos.

Nascida em uma pequena vila do bairro comercial do Alecrim, Magnólia é formada em educação física, pós-graduada em gestão, estudou economia e administração, presta consultoria para empresas que realizam concurso público em vários estados do Brasil e é professora da rede estadual e municipal (em Natal), onde entrou por concurso. Em outubro, o partido Solidariedade chegou a emitir uma nota de  repúdio contra institutos de pesquisa do RN que não incluíam o nome dela nas sondagens de opinião popular, mesmo sabendo que, desde junho de 2017, ela havia sido aclamada pela legenda como pré-candidata oficial do Solidariedade ao Senado, com divulgação ampla na imprensa.

Na pesquisa mais recente, feita pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern), a supresa: Magnólia foi citada na pesquis espontânea e ficou atrás apenas dos nomes mais fortes das oligarquias do Estado: o ex-presidente do Senado e ex-ministro da Previdência, Garibaldi Alves (primo do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves), do presidente nacional do Democratas, José Agripino Maia, e da deputada federal Zenaide Maia, irmã do ex-deputado federal e banqueiro João Maia (do banco Fator) e esposa do ex-prefeito de uma das maiores cidades do Estado, São Gonaçalo do Amarante.

“Mesmo sem estrutura alguma, sem ser dona de rádio, ou TV, sem nunca ter tido mandato, apenas com a divulgação básica nas redes sociais feitas pelo próprio partido, Magnólia já alcançou o patamar de ser o maior nome, no momento, que, na prática, começou o caminho para o enfrentamento contra os políticos tradiconais que ocupam os espaços de Poder há 40 anos no RN”, contextualiza o deputado Kelps Lima, presidente do Solidariedade no Rio Grande do Norte.

“A favor de Magnólia conta o fato de ter reputação ilibada, alta capacidade técnica, e um partido organizado em 132 das 167 cidades do RN – outro trunfo que a coloca à frente dos outros candidatos de partidos menores que não sejam cooptados ou alugados às oligarquias”, explica Kelps.

Fonte: RN Notícias